Critica: The Flash revela história de vilão em 5×07 “O Come, All Ye Thankful”

Imagem: The CW/Divulgação

Continua após as recomendações

The Flash não partiu para o que realmente interessa

Após uma série de episódios medianos, The Flash parecia enfim abrir espaço para que a trama central se desenvolvesse. Íris e Nora enfim se entendendo, Nevasca retornando, Cisco recuperando os satélites, as pistas levando o time Flash mais perto da identidade de Cicada. Era chegada a hora da temporada partir para o que realmente interessa. Só que infelizmente não foi o que aconteceu.

The Flash parece ter caído num ciclo vicioso dos mais adversos. Episódio após episódio, os mesmos problemas de relacionamento entre os personagens tem se repetido. Nora se tornou uma personagem difícil de suportar. Quando parece que a mimada personagem amadureceu, no episódio seguinte ela puxa a trama para trás novamente. Ela deixa de lado os ideais nobres e altruístas que são marca dos super-heróis por puro egocentrismo. Entendo que seja uma personagem em desenvolvimento, mas veremos a mesma situação se acontecer até quando? As tramas dos episódios tem sido desenvolvidas num paralelo a causa de Nora apenas para lhe ensinar uma lição. Ou seja, ao invés de acompanharmos a série sobre o herói Flash, parece estarmos acompanhando uma série de canal infantil.

Continua após a publicidade

A história de Cicada

Similar ao episódio 7 da temporada passada, este episódio também revela a história de origem do principal antagonista. Só que com um grande diferencial. A história do Pensador tinha uma base bem enraizada no cerne de The Flash, combinada com a incrível atuação de Neil Sandilands (DeVoe) e Kim Engelbrecht (Marlize). Já a história de Cicada se mostrou extremamente trivial e clichê para o grande vilão da temporada. Sem contar que Chris Klein se mostrou um ator despreparado, mostrando ter quase nenhuma química com os parceiros de cena, principalmente com a atriz mirim que representa Grace. Em nenhum momento me vi atraído a acompanhar os flashbacks do personagem, que mais lembrou um vilão da semana que o da temporada.

O que dizer então da vilã do episódio? Vergonha-alheia é o que melhor a descreve. A personagem além de cartunesca em excesso, com seu uniforme e penteado diferentes, em busca de libertar seu pai, o Mago do Tempo. Só que ao ser enganada e pensar que conseguiu o que queria, mostrou total desprezo pelo pai. Então qual a real motivação da personagem? Nenhuma. Apenas adicionar cenas de ação para o episódio. Até porque seus poderes na verdade estão em seu cetro. A introdução da tecnologia meta talvez não tenha sido uma boa ideia para The Flash, já que tem gerado antagonistas ruins.

Com todos estes pontos em evidência, começo a temer pelo que ainda está por vir e a temporada toda em si. Parece que Tobb Helbing não tem sido bom como showrunner e é preciso uma intervenção urgente. Não consigo ver esperança para esta quinta temporada, a não ser que os roteiristas contorne os erros na segunda metade da temporada a tempo. Torço para que The Flash encontre uma luz e volte a correr atrás do tempo perdido.

Imagem: The CW/DivulgaçãoThe Flash

CURIOSIDADES:

– O título do episódio faz referência a canção de Natal americana “O Come, All Ye Faithful”. Em português, a mesma canção se chama “Ó, vinde adoremos”.

– Nos quadrinhos, Bruxa do Tempo foi uma antiga prostituta de Gotham transformada pelo Pinguim em uma membro da Nova Galeria de Vilões. O vilão Libra a envia atrás do Mago do Tempo. Ela não era tão habilidosa com sua varinha do tempo. Então o Mago do Tempo a mata facilmente com um raio. Apareceu pela primeira vez em 2008 e morreu pouco meses depois.

– Referências Nerds:

  1. Cisco chama Joss de Helen Hunt, se referindo a sua personagem em Twister (1996).
  2. Sherloque chama Cisco de jovem Ralph Macchio, ator conhecido por seu papel de Daniel LaRusso na franquia Karatê Kid.
Tags The Flash
Avatar

Álefe Cintra

Jornalista e apaixonado por séries. Tem a mesma profissão de Clark Kent, usa óculos parecido, mas infelizmente não é super-herói. Grande fã de séries de super-heróis e fantasia. No Mix de Séries escreve as reviews de Arrow e The Flash.

No comments

Add yours