Crítica: The Walking Dead pode sobreviver depois do episódio 8×12

Imagem: AMC/Divulgação

Continua após as recomendações

Se você é fã assíduo de The Walking Dead desde sempre e sentiu que sua série estava afundando cada vez mais, talvez tenha visto uma faísca se acender na noite de domingo. Já era de se esperar o que o episódio iria trazer: montou terreno e mais conflito para guerra final, onde teremos os episódios mais eufóricos da temporada.

Rick (Andrew Lincoln) deixa a calmaria de lado e, com sangue nos olhos, vai atrás de Negan (Jeffrey Dean Morgan) no maior estilo “Velozes e Furiosos” que você imaginar. Ele capota o carro do líder dos salvadores, metralha todo o caminho atrás do vilão e dá muita dor de cabeça para ele neste episódio. O fogo na Lucille foi um bônus, com certeza. Mas já sabíamos que dessa briga não teria um vencedor, não é? Rick perde o inimigo de vista e vai embora.

Continua após a publicidade

Temos o núcleo de Maggie (Lauren Cohan) que decidiu ir por outro caminho. Ao receber um bilhete um tanto amigável, o que é estranho em meio a essa guerra entre comunidades e tudo o que os personagens passaram, ela acaba sendo convencida por Michonne (Danai Gurira) a verificar. A nota pedia discos de músicas e, em troca, receberiam mantimentos. Junto de Enid (Katelyn Nacon) e Rosita (Christian Serratos), as mulheres vão de encontro a novos personagens. A líder, uma mulher de terninho, parece ser alguém que não quer encrenca, então após pensar muito, Maggie acaba cedendo à troca. Será que a série já está montando terreno para a Nova Ordem Mundial, dos quadrinhos, tão cedo assim?

Imagem: AMC/Divulgação

Por outro lado, procurando por Negan, tivemos um lado de Simon (Steven Ogg) que não demos tanta importância. A ganância pelo poder. O malandro fez Dwight (Austin Amelio) acreditar que o melhor, no ponto de vista dele seria levantar bandeira branca e seguir o seu caminho. Contudo, ao reunir a comunidade em busca do líder, Simon faz o contrário e lidera um ataque direto a Hilltop, com direito a exterminá-los de uma só vez. É claro que não vai demorar muito para a casa desse sujeito cair, já que o próprio Negan descobriu algumas falcatruas do capanga.

Negan sem reinado…

E por falar em Negan, onde ele foi parar? Surpreendentemente, ele acorda em um carro, dirigido por ninguém mais, ninguém menos do que Jadis (Pollyana McIntosh). Depois de perder toda a sua comunidade no ataque de Simon, ela não parece querer fazer mais algum acordo com o vilão. Será que ela está indo para Hilltop?

No geral, o conteúdo desta semana de The Walking Dead faz crer que a fórmula do sucesso da série está nas últimas, mas ainda está lá, viva. Dessa forma, uma análise detalhada poderia ser feita para, de alguma forma, resgatarem o que fez os fãs da série, fãs de verdade.

Confira a promo do próximo episódio e nos diga o que você achou deste!

https://www.youtube.com/watch?v=7Oq0H7xL1j8

1 comentário

Adicione o seu
  1. Avatar
    Isac Marcos 19 março, 2018 at 12:56 Responder

    Esse episódio nos faz crer que ainda temos uma fagulha de esperança em acertarem o seriado, ou melhor, retorná-lo aos eixos iniciais que fizeram ser um dos mais assistidos. O final com a Jadis tendo capturado o Negan surpreendeu bastante.
    Acredito sim que a série preparou terreno para a Nova Ordem Mundial, só espero que não pulem o arco dos Sussurradores.

Post a new comment