Heels, série com atores de Vikings e Arrow, é incrivelmente boa | Crítica

Série tem trama sobre luta de dois irmãos no ringue e na vida; E tem tudo para ser uma das melhores coisas da TV

Crítica Heels Vikings

Heels estreou quase como sem pretensão nos Estados Unidos pelo Starz neste último domingo, 15. No Brasil, também chegou simultaneamente pelo Starzplay – streaming quase que esquecido pela maioria, mas que guarda ótimos títulos.

Continua após publicidade

Quando anunciaram a produção de Heels, eu não me animei, confesso. Pensei que seria uma série boba, ou daquelas que fossem queimar basicamente todos os seus cartuchos no piloto. Mas a série me surpreendeu de forma positiva, construindo uma narrativa que tem tudo para se tornar uma das melhores coisas na TV. Aliás, em um recente artigo, a Variety, uma das revistas mais conceituadas da televisão americana, fez exatamente este apontamento.

Continua após a publicidade

Mas afinal, o que Heels tem de sensacional?

Continua após publicidade

Uma história simples, mas que envolve

Em Heels, temos Stephen Amell – ator que ficou preso oito anos interpretando um herói engessado em Arrow. Aqui, ele vive Jack Spade, o irmão mais velho encarregado de manter a Duffy Wrestling League ativa, que mantém um bando de lutadores e leva o nome da cidade fictícia da Geórgia. A DWL é uma empresa familiar, lançada e administrada pelo pai de Jack, Tom (David James Elliott), e então rapidamente passada para Jack após a morte do patriarca por suicídio.

Leia também: Continuação de Vikings na Netflix terá ator de The Last Kingdom

Parecia um caminho natural para Jack viver para escrever os roteiros surpreendentes do DWL e gerenciar o clube de lutas. Só que em seu caminho surge seu irmão mais novo, Ace, interpretado pelo ex-Vikings, Alexander Ludwig. Aliás, o ator em Heels consegue se mostrar completamente diferente do papel que fez em Vikings, atuando como um homem que está destinado a grandeza. Embora viva em uma cidade pequena, atuando em um clube de luta – o que o torna compreensivelmente mal-humorado.

Continua após publicidade

Ace e Jack, portanto, batalham no ringue, a partir dos roteiros escritos pelo irmão mais velho. Mas a atenção está mesmo na disputa de egos que os dois travam nos bastidores, confrontando sobre o que é certo o que é errado para a família.

Heels Crítica ator Vikings
Imagem: Divulgação.

Heels é uma excelente pedida

Heels basicamente não se prende a ser um drama de wrestling. E isso faz com que a série, para alguns, seja até mesmo arrastada. No entanto, isso nada mais é do que um trunfo do criador Michael Waldron (“Loki”), que se preocupa em gastar uma boa quantidade de tempo do primeiro episódio preso em diálogos e, ao mesmo tempo, ensinando o público alguns termos importantes como “kayfabe”.

Além disso, ele também mostra como que a luta é algo que move a cidade e faz, do personagem de Ace, quase que um “herói nacional”.

Avançar pela história de Heels é interessante porque entendemos que há um conflito bastante profundo entre Jack e Ace. Então, o que move essa raiva? Seria inveja ou ódio familiar? A narrativa trata de ir, aos poucos, explicando estes elementos, enquanto vamos fazendo alusão aos problemas através nas lutas dos ringues.

Outro ponto é que Ace quer, sem dúvidas, subir. Ele quer alcançar um ponto que talvez seja impossível, se ele ficar somente preso à narrativa que Jack está disposto a criar para ele. Mas como ele vai sair disso? Seria possível ele criar asas e se ver livre deste cordão, achando sua própria personalidade? Ou esse sucesso só aconteceu devido ao que Jack fez por ele?

Leia também: Fãs de Vikings estão preocupados com a Netflix; Entenda!

Por mais interessantes que sejam essas ideias, elas só podem levar a história à medida que o público investe nelas, portanto, um esforço considerável gasto na sombra dos irmãos Spade, em detrimento do conjunto muito mais intrigante. A tensão entre Jack e Ace parece sobrecarregada. E cada cena passada assistindo Jack e sua esposa Staci (Alison Luff) reclamando sobre finanças tensas parece um tempo que poderia ter sido melhor gasto com jogadores de segunda mão como Rooster (Allen Maldonado) e Crystal (Kelli Berglund), que enfrentam riscos mais imediatos.

Imagem: Divulgação.

Heels lembra até mesmo Friday Night Lights

A fotografia e direção de Heels são aspectos que mais chamam atenção daquele que se atenta aos detalhes. Somado a uma trilha sonora pacífica, é quase como se tivéssemos assistindo a uma versão mais adulta de Friday Night Lights. Embora os conflitos adolescentes da popular série se reflitam aqui na disputa entre os irmãos.

Quando colidimos com esse mundo, encontramos Jack e Ace no aniversário de morte de um ano de seu pai. E a forma como a história transita entre as lutas no ringue e fora dele pode até mesmo confundir o espectador. Mas é especialmente necessária para criar um paralelo interessante sobre o que Heels está disposta a contar.

Se os atores de Vikings e Arrow deixam suas bagagens para trás ao construir personagens novos e intrigantes, cabe ao público se fidelizar à história e retornar semanalmente para conferi-la.

Mesmo que o primeiro episódio não gaste todos os trunfos da trama, como dito, é exatamente este o motivo que vale a pena continuar.

Heels estreará novos episódios todos os domingos, pelo Starzplay e pelo Amazon Prime Video (via Prime Channels).

E então, você vai conferir?

Nota: 5/5

Criador do Mix de Séries, atua hoje como redator e editor chefe do portal. Especialista em SEO e construção de textos para internet, também atua como webwriter com foco em textos para o Google. Autor na internet desde 2011, passou pelos portais TeleSéries e Box de Séries. Fã de carteirinha de Friends, ER e One Tree Hill, é aficionado pelo mundo dos seriados. Também é fã de procedurais, sabendo tudo sobre o universo das séries Chicago, Grey's Anatomy, e séries de sucesso como La Casa de Papel e Lucifer. Também é fã da DC Comics, e acompanha produções inspiradas em personagens da editora, como Titans e até o mais recente produto da editora, Sweet Tooth.