Por onde anda Denílson Show?

Resultado de imagem para Denílson Show?

 

Jogador criativo e dono de um pé esquerdo inesquecível, Denílson foi um atacante que dispensa apresentações. Um craque inegável dentro e fora de campo, o atleta agora explora novos rumos em sua carreira.

Após pendurar as chuteiras e deixar definitivamente o futebol, o menino nascido em Diadema, descobriu seu  outro lado irreverente ao participar em programas esportivos de rádio e televisão, até se tornar comentarista esportivo. Agora, o craque busca novos desafios para a vida profissional.

O atleta, que já foi uma das principais caras da empresa Nike em 1998, agora anuncia uma nova empreitada, uma parceria com uma casa de apostas online de renome internacional que opera em criptomoedas em grandes países do mundo, como Brasil, China, Alemanha, Rússia, Turquia entre outros. Sportsbet.io e Denílson fecham uma imponente parceria visando o desenvolvimento de ambas as partes. O  craque chega para somar em uma empresa inovadora e em grande ascensão no mercado.

Com o talento clássico dos típicos jogadores brasileiros, Denílson dominava a arte do drible como ninguém de sua geração. Qualquer um que tivesse o prazer de vê-lo jogar e fazer sua magia espetacular, garante que levanta estádios. Quem é que não se lembra da exibição de gala do craque jogando a semifinal pela Seleção Brasileira na Copa de 2002 contra a Turquia?

O garoto começou a carreira no  São Paulo, fazendo sua estreia aos 17 anos e chegando à Seleção Brasileira apenas dois anos depois. Ele foi um canhotos mais conhecidos de uma geração de jogadores brasileiros com muito talento.

Denílson fez sua estreia jogando pelo Brasil em 1996, contra Camarões. Ele apareceu ao lado de grandes nomes do Brasil, como Ronaldo, Romário, Cafu e Roberto Carlos, em uma época saudosa cheia de paixão pela bola, talvez a última geração absurdamente talentosa do futebol brasileiro atual.

Ele foi chamado para a Seleção na Copa do Mundo de 1998, aparecendo em todos os jogos até a fatídica final contra a França. Ele também foi selecionado para a Copa América de 1997 e para a Copa das Confederações de 1997, vencendo ambos os torneios e marcando 2 gols em 10 jogos.

Suas empolgantes aparições na Seleção, ajudaram a elevar seu preço e ‘Denílson Show’ como foi apelidado, conseguiu a façanha de ser o jogador mais caro do futebol mundial. Com apenas 20 anos de idade, ele tinha o mundo a seus pés, e clubes como Barcelona, ​​Manchester United e Real Madrid querendo sua contratação.

Felipão também convocou o craque para a Seleção Brasileira vencedora da Copa do Mundo de 2002, no Japão e na Coréia do Sul. Durante o torneio, o atacante fez várias aparições, incluindo uma exibição lendária de última hora contra a Turquia na semifinal. Sempre começando no banco, ele chegou a entrar em campo em cinco partidas ajudando a Seleção Brasileira a conquistar o 5º título mundial, aparecendo inclusive na final contra a Alemanha.

O jogador passou 7 anos no clube espanhol Betis, um time onde até hoje é lembrado com quase 200 aparições em jogos oficiais. No entanto, o craque lutava constantemente para encontrar uma forma consistente e reavivar seu estilo jovem e livre.

Em 2005, o jogador e o Betis se separaram e ele foi para a França tentar a sorte no Bordeaux, durando apenas uma temporada. Depois desse período, a carreira do ex-jogador mais caro do planeta não seguiu como todo mundo esperava e o jogando passou por 6 clubes diferentes em quatro anos.

Depois de um breve período na Arábia Saudita, no Al-Nassr Football Club, Denílson voltou ao Brasil, onde assinou pelo Palmeiras, sob a orientação de Wanderlei Luxemburgo. Denílson durou 30 jogos antes de ir ao Vietnã para assinar com Xi Mang Hai Phong, tornando-se também o jogador mais bem pago da liga vietnamita. Apesar do talento inegável, muitos ainda consideram que o craque não cumpriu o potencial mostrado no início de sua carreira.

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.

No comments

Add yours