The Boys teve grande problema no final da 3ª temporada

Final de The Boys foi bom,... mas faltou coragem!

The Boys 3 temporada

The Boys encerrou sua jornada da terceira temporada com louvor. Após um segundo ano cansativo, e uma pausa necessária, a nova leva dos episódios trouxe tudo o que os fãs queriam: uma temporada quase perfeita. E ela foi quase, na verdade, por conta de alguns detalhes que tornaram o final do terceiro ano um grande “anticlímax”.

Continua após publicidade

Com oito episódio, The Boys construiu novas bases para suas tramas e introduziu personagens aguardados (como o Soldier Boy), da mesma forma que eventos que os fãs esperavam (Herogasm). E, se a expectativa foi suprida ou não em ambos os casos, isso não importa, porque The Boys soube surpreender sempre com algo melhor, ao longo dos oito episódios.

Porém, no final do terceiro ano, a sensação de que “faltou algo” existiu. E é este o problema do final da terceira temporada no Prime Vídeo.

Continua após publicidade

Faltou coragem para os produtores de The Boys?

The Boys 3 temporada
Imagem: Divulgação.

O final da terceira temporada de The Boys foi incrível em muitos sentidos. Mas o sentimento anticlímax nos instantes finais foi terrível.

Assim como a atriz Millie Bobby Brown reclamou recentemente dos roteiristas de Stranger Things, e sua falta de coragem em matar personagens, assim como Game of Thrones fazia, The Boys passou pelo mesmo ponto.

Leia também: The Boys: final da 3ª temporada muda tudo para Capitão Pátria

O roteirista Eric Kripke, talvez, se apegou demais aos personagens, a ponto de não querer que uma ou outra figura morresse.

Continua após publicidade

Embora o Soldier Boy possa ser bem utilizado em outras temporadas, se sua morte tivesse acontecido não teria sido um problema tão grave. Teria apenas mostrado que os roteiristas da série teriam coragem de ousar.

Da mesma forma, a Rainha Maeve poderia ter encontrado seu grande momento de sacrifício, se tivesse morrido em seu confronto final com o Soldier Boy. Mas, infelizmente, ela apenas perdeu seus poderes.

Pior do que não ver a Rainha Maeve morrer será vê-la não ser a responsável por derrotar o Capitão Pátria. Caberá, certamente, a Butcher e seus companheiros de The Boys derrotá-lo.

Continua após publicidade

Mas por que isso aconteceu?

Imagem: Divulgação.

Infelizmente, esse anticlímax é algo que não conseguimos ler para The Boys. Porque o roteirista acabou matando Noir, que poderia ter uma utilidade interessante em futuros momentos – até mesmo de confronto com o Soldier Boy, o que nunca vai acontecer.

Faltou mesmo coragem da série de seguir em frente com algumas mortes e deixar as coisas mais agitadas para o que vem a seguir.

Leia também: The Boys, tudo sobre a 4ª temporada

Agora, caberá aos fãs especularem sobre Ryan e como que o Capitão Pátria deverá criar um “pequeno psicopata”, diante do sorriso que o garoto deu ao ver o pai acabar com um civil, na frente de apoiadores. Embora a terceira temporada seja incrível e de um excelente nível, como um todo, infelizmente ela cometeu esse deslize no final.

Mas há algo que podemos relevar. Diante de uma onda de ótimas produções, e competindo com a atenção do público ao mesmo tempo em que Stranger Things esteve no ar, The Boys provou ser um ótimo produto para se acompanhar. Somando-se o fato de que seus episódios foram semanais, os fãs tiveram tempo para assimilar e digerir as tramas, e sem dúvidas isso contou a seu favor.

Agora, é esperar a quarta temporada. Quem sabe ela será corajosa, do início ao fim?

Criador do Mix de Séries, atua hoje como redator e editor chefe do portal. Especialista em SEO e construção de textos para internet, também atua como webwriter com foco em textos para o Google. Autor na internet desde 2011, passou pelos portais TeleSéries e Box de Séries. Fã de carteirinha de Friends, ER e One Tree Hill, é aficionado pelo mundo dos seriados. Também é fã de procedurais, sabendo tudo sobre o universo das séries Chicago, Grey's Anatomy, e séries de sucesso como La Casa de Papel e Lucifer. Também é fã da DC Comics, e acompanha produções inspiradas em personagens da editora, como Titans e até o mais recente produto da editora, Sweet Tooth.