The Voice UK – 7×06/07 – Blind Auditions

Imagem: ITV/Divulgação

Chegamos aos momentos decisivos dessa primeira fase do The Voice UK. Nossos coaches finalmente preencheram seus times com as últimas vagas que restaram, e a batalha está cada vez mais próximas de nós.

 

PRIMEIRO DIA

 

Continua após a publicidade

Bailey Nelsen – “There’s Nothing Holdin Me Back”

https://www.youtube.com/watch?v=0f3QJZGTZPU

Bernardo: Eu não gostei nem um pouquinho. É uma música fácil, Bailey jogou na zona de conforto durante toda a performance. Não gosto de cantor assim, na verdade, detesto. Então eu passo.

Edu: Mais do mesmo, e não entendi Olly virando para o rapaz. Sério, poderia ter usado essa vaga com Michael, por exemplo.

Luke F: Eu tenho minha opinião meio radical quanto ao pop atual, que podem ser boas para animar mas não são perfeitas para uma audição. Enfim, foi muito mais do mesmo, como bem disse o Edu.

Luke S: Gosto bastante dessa música do menino Shawn, mas pra mim Bailey pecou em simplesmente fazer um karaokê do negócio. Ele poderia ter mostrado pelo menos um pouco de originalidade, e eu definitivamente não teria virado.

 

Wesu Wallace – “I’m Not The Only One”

https://www.youtube.com/watch?v=WIjY6eGERhY

Bernardo: Essa é uma música perfeita para todos aqueles que estão em busca de surpreender, mostrar a força e o poder da voz. Resumindo: é um clichezão. A boa notícia é que o Wesu consegue colocar sua própria marca na apresentação, e entrega algo satisfatório. Com os conselhos certos ele deve ir longe, mas não quero fazer nenhuma previsão agora.

Edu: Tenho ranço sem fim de Sam Smith, e logo não achei Wesu tudo isso. A voz dele é enjoada, pedante, e tudo foi um verdadeiro show de sono. Deus que me livre!

Luke F: Fiquei bem preso no tédio com a apresentação. Eu me emociono com a canção, e não tem como não comparar com a original. Se houvesse algo que mostrasse a identidade de Wesu, tudo bem, mas achei um pouco mais do mesmo de forma aquém.

Luke S: Sempre que alguém vai cantar esse musicão da p****, e eu fico aqui esperando muita coisa. Talvez por isso tenha ficado um pouco decepcionado com o Wesu. Sim, ele tem uma voz bacana, mas não me ganhou de primeira. Ainda assim deu pra ficar feliz por ele ter passado e deixou aquela curiosidade pra ver o que fará na próxima fase.

 

Courtney O’Neil – “When You Say Nothing At All”

https://www.youtube.com/watch?v=jJHBatDmUVY

Bernardo: Se fosse no The Voice dos Estados Unidos, Courtney seria do Tennessee e cantaria uma das músicas da Dolly Parton. Reforçando estereótipos à parte, tenho que confessar que eu adorei a apresentação dela. Foi madura, foi potente e diria que maravilhosa. Por enquanto, é a melhor que eu assisti hoje.

Edu: Courtney é o estilo certo de candidata para o The Voice US, e que seria uma das queridinhas do team Blake. Ela tem algo a mais, que não sei dizer, e teve a grande sorte de vovô Tom virando sua cadeira. Algo me diz que veremos uma parceria bem interessante daqui pra frente, vamos aguardar.

Luke F: Impossível não relacionar ao TVUS, né? Blake já teria virado pra moça no primeiro som. Gostei da apresentação, foi algo diferente do que estamos acostumados e é uma voz particula,r que pode movimentar bem dentro de estilos. Quero ver o que Tom aguarda para ela.

Luke S: Gostei da voz dela, embora tenha parecido meio forçado em alguns momentos da música. Mesmo assim, vale dizer que ela fez uma audição bastante interessante, e fiquei surpreso com o Tom virando. Curioso pelo que pode vir pela frente.

 

Keilah Miller – “What’s Up”

https://www.youtube.com/watch?v=M2ZYCNaqJ_E

Bernardo: Novamente eu reforço que é um clichê, What’s Up” sempre aparece por aqui quando alguém precisa surpreender pelos motivos corretos. Keilah, entretanto, conseguiu uma proeza única nas blind auditions – ser maior e mais interessante do que a própria música. As mulheres desse ano estão realmente surpreendendo. Sorte a nossa.

Edu: ESSA MÚSICA! “What’s Up” faz lembrar e muito de Sense8, mas quando falamos de reality na hora assimilo à icônica apresentação de Kimberly Nichole na season 8 do US. Se ela tentou mirar nisso errou feio, pois soou bem exagerado em certos momentos.

Luke F: Parece ter uma personalidade interessante de artista e gostaria de ter visto mais dela por aqui. A música é uma das minhas preferidas da vida e Keilah se entregou a ela, mas foi um pouco demais. Enfim, uma pena não ter seguido.

Luke S: Poxa, realmente acho que a Keilah merecia alguém virando, porque pra mim mandou bem com essa que é outra baita música. Gostei bastante da voz, e mesmo concordando com o Duh sobre os exageros em alguns pontos da música, ainda acho que no meio de tantas audições meia boca, ela saiu na frente de várias e merecia seguir.

 

Jilly Riley – “All Right Now”

https://www.youtube.com/watch?v=I5HHj_TB8EM

Bernardo: É Carnaval, né senhores? Felizmente a Jilly é muito melhor do que um estilo divertido ou do que um nome excêntrico. Ela é sensacional, maravilhosa e poderosa. Eu adoro quando um cantor traz personalidade, talento e conteúdo ao mesmo tempo. Podem ter certeza, Jilly é uma das minhas preferidas em todas as seis semanas.

Edu: Jilly me encantou de uma forma única. Ela tem estilo, carisma, presença de palco, e o principal: a voz. Maravilhosa e com a melhor performance dessa penúltima noite de blinds, ainda bem que ela continua na disputa, e indo para o time de rainha JHud. Ansioso pela parceria entre essas duas gigantes.

Luke F: Tava entendendo nada de ninguém virar, e do nada JHud nos presentea. Jilly é incrível, tem a voz de uma artista, o carisma, consegue interpretar e trabalhar a canção. Já quero ela indo longe na competição com seu estilo único.

Luke S: Gente, só eu fiquei esperando demais pra ver Florence + The Machine naquele palco? Já adianto que fiquei apaixonadão pela Jilly. Veio com estilo, carisma e ainda surpreendeu com a voz. Gostei da audição por inteira e fiquei aqui querendo mais. Aplaudi JHud em pé por ter virado, porque essa foi sim um baita acerto.

 

Tesni Jones – “Highway To Hell”

https://www.youtube.com/watch?v=LHFz4RAPtGQ

Bernardo: A escolha musical já me deixou feliz. Tesni surpreendeu, elevou o nível desse dia morno de apresentações. É claro que teve alguns errinhos na reta final, mas nada que lhe tirasse o mérito e a coroa de melhor cantora desta sexta semana. Me impressionou o fato dela ser do País de Gales e o sotaque não ter ficado forte. Uau!

Edu: Com sua história de vida, já pensava em outra song choice totalmente diferente. Gosto assim, de quando sou surpreendido. Tesni é uma maravilhosa, veio toda cheia de atitude e pra mim foi uma grata surpresa, encerrando uma noite sofrida de blinds com chave de ouro. O melhor de tudo é que foi a única que conseguiu ter mais de uma cadeira virada e merecidamente. Ela escolhendo JHud foi mais que justo, que está conseguindo chegar ao mesmo patamar que vovô Tom, em relevância de time nessa temporada.

Luke F: Eu to é apaixonado, viu… Que performance mais empolgante e quente. Tesni tem o calor necessário para desenvolver bem um clássico do rock como esse. Foi dosado em quantidades corretas, e ainda não entregou todo o seu potencial. Já quero ver onde a parceria com JHud vai levar a garota.

Luke S: Caramba, hein?! A guria veio disposta a botar pra quebrar por ali. Não estava esperando nada de um vozeirão e de uma apresentação nesse estilo todo, o que foi muito bom, pois acabei bastante surpreendido com a Tesni.

 

SEGUNDO DIA

 

Scarlett Quigley – “Wishing You Were Somehow Here Again”

https://www.youtube.com/watch?v=0I6mm6qL6pY

Bernardo: Esses atos são sensacionais. É uma pena que não aparecem mais cantores líricos nas versões internacionais do The Voice. Eu adorei o trabalho da Scarlett, sua apresentação e esse frescor que trouxe a competição.

Edu: QUE APRESENTAÇÃO!! Eu estou jogado no chão nesse exato momento, após esse tiro bem dado. Scarlett é uma maravilhosa e me surpreendeu com esse vozeirão, tendo apenas 19 anos. JHud conseguiu uma adição e tanto em seu time, e é incrível como ele está ficando cada vez mais poderoso.

Luke F.: Eu venho aprendendo a apreciar a música lírica a cada competição que passamos. Foi um estrondo de voz, de apresentação e que poderá ser trabalhada tão bem dentro da competição, principalmente com um ícone como JHud ao lado.

Luke S.: Nossa, definitivamente não é um estilo musical que me atrai, mas gente, foi completamente impossível não ficar impressionado com Scarlett e toda essa voz. A guria cantou muito bem bem ali, e se alguém não tivesse virado teria sido um absurdo. JHud mandou bem!

 

Nandi – “Kiss Me”

https://www.youtube.com/watch?v=IJb3gq-ADHw

Bernardo: Eu gostei, mas não gostei da maneira na qual eu pensei que gostaria. A música é interessante para alguém que é mais direcionada ao jazz, o que não é o caso da Nandi. Porém eu vejo sua aprovação como algo positivo. Ela não é ruim, muito pelo contrário, mas precisa de mais atenção.

Edu: Nandi tem uma voz interessante, e até curti essa versão de “Kiss Me”. O problema da performance foi sua inconstância, com muitas variáveis. Isso me incomodou profundamente, e talvez por isso quase que ela ficou fora da disputa. O team Will é outro que está bem forte na disputa, e não sei se Nandi terá a mesma sorte futuramente.

Luke F.: Eu gosto da canção, achei o desenvolvimento bem feito e gostei da voz. Mas ainda está naquele act just ok, que não impressiona, mas tem mais chances pra frente. O problema são os queridinhos do Will, onde Nandi não se encaixa muito.

Luke S.: Pra ser bem sincero eu não topei muito com a Nandi. Não foi uma voz que me cativou nessa audição, mas ela tem um estilo bacana e deu sim pra ficar pelo pelo Will ter virado, até porque quem sabe não acabo me surpreendendo com ela na próxima fase.

 

Harri Oakland – “Say You Won’t Let Go”

https://www.youtube.com/watch?v=N4O5b7FKhw0

Bernardo: Eu ainda não vi um eye candy nessa temporada do The Voice que me emocionasse ou me fizesse segui-lo no Instagram. Harri pode ser exceção à regra, vamos ver daqui para frente o que acontece. A apresentação não foi das melhores, mas é aquela coisa.

Edu: Eu adoro essa música, mas não curti a versão. Harri é um candidato com potencial, e lembra Jamie Miller, um dos finalistas de JHud ano passado. Será que ela repetirá o feitio com Harri esse ano? Ela o instruindo depois, a música ganhou uma versão bem melhorada. Ansioso para o que nossa rainha vai aprontar com o garoto.

Luke F.: Se esse garoto souber aproveitar a chance que JHud deu à ele, tem potencial a crescer muito na competição. Mas tem que ter uma maturidade gigantesca e se livrar desse nervosismo extremo.

Luke S.: Eita, o menino deixou total os nervos tomar conta e deu até dó dele errando já no início da apresentação. Ainda assim gostei da JHud ter virado, e ainda ter dado aquela leve demonstrada do quanto vai tentar fazer com que ele cresça. A música é ótima e poderia sim ter resultado numa audição maravilhosa, mas não foi bem assim, então vamos aguardar por ele na próxima fase.

 

Kalon Rae – “Only You”

https://www.youtube.com/watch?v=1HBolufb9sc

Bernardo: Eu não gostei, mas eu não gostei mesmo. Talvez foi a escolha da música, do arranjo, enfim, ignorando as apresentações bobas, essa performance do Kalon foi a que eu menos gostei.

Edu: E esse filho perdido do Boy George? Sinceramente esperava mais de Kalon, pois só nos momentos finais que ele me surpreendeu. Talvez vovô Tom guarde alguma carta na manga e o rapaz ainda vá nos surpreender.

Luke F.: Eu gosto demais dessa canção, mas a apresentação ficou bem no just ok. Espero que Tom trabalhe ele, pois o potencial artístico é gigantesco, mas tem que conciliar a voz.

Luke S.: Bem por aí Duh, Boy George ainda segue lá no AU? Foi e deixou o filho pra trás? Rsss. Eu achei legalzinho, mas foi outro que não me cativou assim de primeira. Não sei muito o que esperar dele trabalhando com o Tom, mas vamos ver.

 

Debbie Aramide – “Love Is a Losing Game”

https://www.youtube.com/watch?v=22R8TUqNy9w

Bernardo: Noite terminou de uma forma agradável. Sem tiros, sem apresentações sensacionais, mas algo que diga ao telespectador britânico – “Valeu a pena ficar acordado até tarde hoje”. Debbie foi correta, se apresentou direitinho, e atingiu as notas corretas. Nada de espetacular, mas nada de desastroso.

Edu: Bela forma de encerrar as blinds da temporada. Debbie é um excelente diamante que Olly tem tudo para lapidar de forma grandiosa. Tenho certeza que, caso ela venha a ser eliminada nas batalhas, será disputada a tapa por um steal.

Luke F.: Olly acertou em cheio em seu último act. Que voz excepcional a de Debbie em uma canção bem característica e que encaixou bem. Espero que ele trabalhe bem com a garota daqui pra frente.

Luke S.: Olly fez bonito de esperar até o último act, porque gente, Debbie veio com tudo e surpreendeu legal. Ótima voz, cheia de poder e tudo mais, entregando uma audição muito gostosa de assistir, e deixando meio que impossível não torcer por ela na competição.

 

RESULTADOS

Team JHud: Jilly Riley, Tesni Jones, Scarlett Quigley, Harri Oakland

Team Olly: Bailey Nelsen, Debbie Aramide

Team Tom: Courtney O’Neil, Kalon Rae

Team Will: Wesu Wallace, Nandi

 

O que acharam das últimas apresentações das blinds? Ansiosos para as batalhas?

Avatar

Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.

No comments

Add yours