Tommy Shelby existiu? O quão real é a série Peaky Blinders

Afinal, Peaky Blinders tem fatos reais ou ficcionais?

Peaky Blinders real

Criação de Steven Knight, Peaky Blinders é tecnicamente baseada em uma história real. Mas ela também tem muitas coisas ficcionais – para fins dramáticos, claro.

Continua após publicidade

O drama histórico de gangues da Netflix se concentra principalmente na família Shelby, uma gangue de foras da lei que se infiltra na alta sociedade na década de 1920 em Birmingham, Inglaterra. Mas os Peaky Blinders da vida real vagavam por Birmingham durante um período de tempo totalmente diferente.

Peaky Blinders tem como estrela Cillian Murphy, que vive Thomas Shelby, um herói de guerra que usa seu status de forasteiro e inteligência para orquestrar grandes movimentos de poder em Birmingham e além. Como o chefe do crime fictício de O Poderoso Chefão, Michael Corleone, Tommy é estiloso e calculista. Assim, ele está disposto a matar inimigos por vingança ou poder.

Continua após publicidade

Da mesma forma, Tommy tem motivações, vindo de lembranças assustadoras da Primeira Guerra Mundial e da morte de sua esposa, Grace (Annabelle Wallis). Tommy é o rosto de Peaky Blinders, e incorpora a aparência e filosofias básicas da gangue Peaky Blinders da vida real. No entanto, é a paranoia e vulnerabilidade do personagem que impulsiona a narrativa ficcional. Igualmente, infunde seus membros de gangue com mais profundidade e experiência de mundo do que a gangue da vida real.

De fato, os Peaky Blinders existiram. E eles fizeram manchetes em Birmingham. Mas até onde isso tudo era real?

Thomas Shelby era uma pessoa real?

Peaky Blinders real
Imagem: Divulgação.

Não! Enquanto alguns dos personagens de Peaky Blinders tem base em figuras históricas reais (incluindo o político Winston Churchill, o sindicalista Jessie Eden, bem como o líder de gangue rival Billy Kimber e o líder fascista Oswald Mosley), o personagem de Cillian Murphy, Tommy Shelby, não existia. Ele nunca foi líder de uma organização criminosa. Da mesma forma, nunca foi dono de uma fábrica e nunca foi deputado.

Continua após publicidade

No entanto, é verdade que os Peaky Blinders eram uma verdadeira gangue de rua em Birmingham. Mas o escritor do programa, Steven Knight, criou toda a família Shelby do zero e os colocou no centro desta história.

Quem eram os verdadeiros Peaky Blinders?

Os Peaky Blinders eram uma gangue de rua da vida real com sede em Birmingham. Eles se vestiam de forma inteligente e elegante, muitas vezes vestindo jaquetas sob medida, lenços de seda, coletes de botão, botas de couro com ponta de metal e bonés. Mas a ideia de que eles usavam lâminas de barbear em seus chapéus pontudos para cegar seus inimigos é provavelmente uma lenda urbana.

Enquanto o drama da Netflix começa logo após o retorno dos meninos Shelby da linha de frente em 1918 e continua durante o período entre guerras, os verdadeiros Peaky Blinders realmente tiveram seu apogeu muitos anos antes.

Continua após publicidade

Os Blinders dominavam aas ruas de Birmingham desde o final do século 19 até o início da Primeira Guerra Mundial. Esses jovens desempregados da classe trabalhadora ganharam fama por sua violência, roubo e por assumir o controle da indústria do jogo.

Os jovens violentos da cidade e os pequenos criminosos se juntaram em gangues mais organizadas, e foram apelidados de “sloggers“. A partir da década de 1890, acreditava-se que um homem chamado Thomas Gilbert (também conhecido como Kevin Mooney) estava no topo da gangue que o povo conhecia como “Peaky Blinders”. Tal gangue, aliás, poderia ter base em Small Heath (onde o fictício Tommy Shelby também começou sua carreira criminosa).

Leia também: O real motivo por que Peaky Blinders vai acabar com um filme

Se tudo isso soa muito incerto e especulativo, é porque as gangues criminosas de Birmingham deixaram poucos vestígios no registro histórico – e a violência em partes pobres da cidade muitas vezes não foi registrada.

Porém, há um relatório sobrevivente de um ataque violento em 1890, registrando um ataque sério a um homem chamado George Eastwood que estava bebendo cerveja de gengibre em um pub: “vários homens conhecidos como a gangue Peaky Blinders, que Eastwood conhecia de vista de seus morando no mesmo bairro que ele, entrou” e atacou violentamente o abstêmio.

Peaky Blinders real
Imagem: Divulgação.

Também temos um punhado de fotos policiais de jovens, incluindo Harry Fowles, Ernest Haynes e Stephen McNickle, que foram presos por crimes como “arrombamento de lojas” e roubo de bicicletas. Mas na verdade eram conhecidos por fazer parte dessa gangue implacável.

As gangues de Birmingham se envolveram em guerras de território, ocupando e assumindo o controle de áreas da cidade. No entanto, a partir da década de 1910, os Peaky Blinders perderam terreno para os Birmingham Boys, uma organização maior liderada por Billy Kimber (interpretado por Charlie Creed-Miles na primeira temporada) que protegeu ferozmente seus negócios nas pistas de corrida (com muito mais sucesso do que vemos no série de TV, é preciso dizer).

Por sua vez, os Birmingham Boys perderam para a gangue Sabini alguns anos depois.

Quão historicamente preciso é Peaky Blinders?

Peaky Blinders apresenta uma versão descaradamente elevada da realidade, misturando fato e ficção para criar um drama brilhante. E, embora esteja longe de ser um documentário, o escritor Steven Knight se inspirou na história da época. Dessa forma, usando eventos e tendências históricas para construir uma narrativa convincente.

É por isso que, na quinta temporada, vemos as consequências do Crash de Wall Street de 1929 na economia do Reino Unido e no povo de Birmingham. Também vemos a ascensão de Oswald Mosley, que fundou a União Britânica de Fascistas na década de 1930.

A política tem sido encadeada através de Peaky Blinders desde o primeiro episódio, com o estabelecimento se tornando profundamente preocupado com a “ameaça” comunista.

Leia também: 7 séries tipo Peaky Blinders que os fãs precisam assistir

Homens foram presos por sedição e condenados a seis anos por falar em público sobre o comunismo”, disse Knight. “Eles foram levados e espancados. Lembro-me de meu pai dizendo que um cara se levantaria e falaria sobre a Revolução Russa e eles o agarrariam, o colocariam em uma van e você não o veria novamente. Você pensa, isso é não o que diz nos livros. Mas, quando você pesquisa, pega papéis da época, você percebe que foi isso que aconteceu. É uma história secreta.“.

Imagem: Divulgação.

Até agora, o drama também tocou no trauma mental do pós-guerra, direitos das mulheres, direitos dos trabalhadores, guerra de gangues, aristocratas russos no exílio, racismo – e até vício em drogas, com todos, de Arthur a Linda, ao jovem Finn usando cocaína.

“Se você ler o Daily Mail daquela época, o grande escândalo era sobre boates, todo mundo tomando cocaína dessas garrafas azuis”, disse Knight, apontando para os rumores exagerados: “Todo mundo estava fazendo tudo com todo mundo. As pessoas pensavam que a Inglaterra estava indo para o inferno.”.

Criador do Mix de Séries, atua hoje como redator e editor chefe do portal. Especialista em SEO e construção de textos para internet, também atua como webwriter com foco em textos para o Google. Autor na internet desde 2011, passou pelos portais TeleSéries e Box de Séries. Fã de carteirinha de Friends, ER e One Tree Hill, é aficionado pelo mundo dos seriados. Também é fã de procedurais, sabendo tudo sobre o universo das séries Chicago, Grey's Anatomy, e séries de sucesso como La Casa de Papel e Lucifer. Também é fã da DC Comics, e acompanha produções inspiradas em personagens da editora, como Titans e até o mais recente produto da editora, Sweet Tooth.