5 Razões para você assistir a série GLOW na Netflix

Imagem: Divulgação/Netflix

Série vem sendo elogiada pela crítica e público.

O que aconteceria se lindas e exóticas mulheres se juntassem para lutar em um ringue? É justamente isso que GLOW mostra.

Inspirada no programa “trash” dos anos 1980, em que atrizes interpretavam personagens dentro de uma competição de luta livre, a série da Netflix vai além e mostra como era os bastidores da atração. Entretanto, engana-se quem pensa que a série é um humor “pastelão” ou “vergonha alheia”.

Encantando os críticos, e conquistando uma indicação ao Emmy 2018 de MELHOR COMÉDIA, GLOW mostra um lado da mulher na década de 1980 que ainda precisa ser explorado, e estamos aqui para te convencer a dar uma chance para a série que possui duas temporadas na Netflix.

Confira, 5 Razões para você maratonar GLOW.

Mostra as dificuldades da mulher na década de 1980

GLOW não é só uma série sobre mulheres lutando em um ringue. É uma série que usa essa premissa pra fazer uma metáfora para a luta que elas tinham de estabelecer lá fora, na vida real. A mulher, na década de 1980, ainda enfrentava uma opressão gigantesca. Na primeira cena, do primeiro episódio, entendemos como ela era ainda submissa ao homem em diversos aspectos: dinheiro, posição social e trabalho. A intenção de todas essas mulheres, ao buscarem uma chance de se reerguerem na vida com a participação no GLOW, mostra que elas precisavam agarrar qualquer oportunidade que aparecesse. É interessante para apreciarmos como que tal gênero precisou – e ainda precisa – lutar para conquistar o seu lugar ao sol.

Personagens cativantes

A premissa da série pode ser uma das melhores e mais interessantes, mas nada funcionaria sem algo crucial: personagens cativantes. Esse é, sem dúvidas, um dos grandes trunfos da série. As protagonistas vividas por Alison Brie e Betty Glipin são um show à parte. Elas possuem diversos conflitos pessoais, são utilizadas para histórias interessantes como traição, aborto, ser mãe solteiro na década de 80, entre outras. Além disso, elas são cercadas por outras mulheres extremamente fortes, de etnias diferentes, que compõem um elenco variado e incrível. Cada personagem tem sua chance de brilhar, e é sobre isso que GLOW trata: oportunidades.

Resultado de imagem para GLOW SÉRIE

Protagonistas em cena de GLOW. Imagem: Divulgação/Netflix

Continua após a publicidade

Bom humor

O humor da série é um dos melhores. Eles aproveitam da liberdade trash que o programa original tinha para deitar e rolar em cima de excelentes piadas que remetem à cultura dos anos 1980. Então espere comentários que possam entonar algo racista – mas que é rebatido pelo alvo da piada, ou questões de étnicas e de gênero. Tudo, claro, na dosagem certa, mas servido para tratar de assuntos importantes que, naquela época, não eram debatidos.

Trilha Sonora

Essa é para quem é fã de boa música. Por se passar nos anos 1980, a trilha sonora da série é um deleite para os que gostam de ouvir músicas de tais anos. De Roxette à Journey, passando por Bon Jovi e Rick Springfeld, Tears for Fears, entre outros, a música é quase um personagem da série. Colocada em momentos decisivos, ela é apenas mais um elemento excitante que ajuda a nos levar para essa década maravilhosa e saudosista.

Continua após a publicidade

Fácil de assistir

Com episódios de pouco mais de 20 minutos e contendo apenas duas temporadas de dez episódios (a série ainda não foi renovada para uma terceira temporada), GLOW é aquele tipo de série considerada “fácil de assistir”. Isso porque um episódio leva a outro, e quando você vê, já está quase acabando. A rapidez com que as histórias fluem, associada a todos estes fatos descritos anteriormente, proporcionam uma deliciosa maratona que você consegue completar, praticamente, em um dia.

E aí, conseguimos te convencer a assistir? Então corre para a Netflix e dê uma chance para GLOW. Tenho certeza que você não se arrependerá.

Leia mais: 5 Razões para você assistir – e amar – Anne With an E na Netflix

Share this post

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.