Crítica: 1×17 de TGD nos apresenta à realidade e traz chocante notícia…

Imagem: ABC/Divulgação

Continua após as recomendações

Exatamente como suspeitavamos, o episódio veio tão chocante quanto emocionante. Com casos bem específicos, a cada semana nos apaixonamos mais e mais pela série. Falta apenas um episódio para o fim de uma temporada histórica, e me vejo destruído após algumas situações.

Continua após a publicidade

Acho que foi impossível não se emocionar com a decepção de Shaun à Kenny. Todos esperávamos que ele seria o amigo dos sonhos de nosso protagonista. Mais uma vez a vida, digo, a série nos pregou uma peça…

Nos últimos dias tem sido assim, a arte imitando a vida…

Como se não bastasse, a grande suspeita que vem rondando as redes há alguns dias parece ter se tornado realidade. Glassman é muito querido pelos fãs e, mesmo com o tempo afastado de Shaun, não deixou de refletir esse sentimento. Foi divertido ver seu envolvimento com Debbie, mas a cena final já entregou o que eu temia. Pelos sintomas, o seu tumor cerebral é realidade. Sim, nosso chefe do hospital deve ser afastado do cargo e não tem um prognóstico tão favorável. Marcus se mostrou um bom gerenciador e já deve voltar na próxima temporada como presidente…

Assim, a série nos pregou algumas peças que são difíceis de engolir. Mas, afinal, um bom clássico sempre faz isso para manter seu público. Trabalhar com nossas emoções é a chave do sucesso. Falando em emoções o caso dessa semana focou bem nisso. Não sei se saberia analisar muito bem a situação mas é claro que a necessidade do sorriso se faz presente. Acredito que muitos analisarão a linha de Duchenne a partir de agora para definir um sorriso sincero. Mas ainda assim, a possibilidade de morte cerebral chocou com demasiada intensidade. Até acreditei que trabalhariam este arco na grande final, mas pelo visto teremos o foco central em Glassman.

Imagem: ABC/Divulgação

Se estamos shippando esse casal acima?? E não é pouco…

Antes de partir para o grande fechamento da temporada, devemos pontuar mais algumas coisas. Se apaixonar pelo paciente já entrou em discussão em diversas séries médicas. Mas finalmente alguém pensou com clareza e trouxe uma solução simples ao problema. Tá, não tão simples e ética como deveria, mas com boa resolução. Interessante ver a relação entre Shaun e Kalu, além do pouco mais da descoberta do médico autista sobre a vida. A ida de Kalu para Denver não preocupa muito pois dificilmente acontecerá. No momento devemos focar em Shaun e Glassman.

E é isso que uma emocionante final nos reserva. Depois de ver a promo não será fácil esperar para uma segunda temporada. Freddie Highmore está mais uma vez brilhando em sua atuação e a receita de sucesso de The Good Doctor tende a crescer cada vez mais. Espero estar certo, espero me emocionar com a final, espero ver uma bela série como esta despontar na mídia internacional. Uma vez que a mesma pode não trazer a realidade a 100%, mas tem uma crítica social incrível e muito real.

Aguardo todos vocês na próxima semana para acompanhar o desfecho desse grande trabalho. Continuem acompanhando o Mix para mais notícias e reviews e até lá…

Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

No comments

Add yours