Crítica: 2×17 de A Million Little Things encerra alguns plots importantes e abre novos

Critica A Million Little Things 2x17

Mesmo após um ano de sua morte Jon Dixon, ainda é muito presente na reta final de A Million Little Things

Os egípcios acreditavam que você morre duas vezes. Uma vez, quando você dá seu último suspiro e, novamente, na última vez que alguém diz seu nome. Eles acreditam que o seu espírito vive enquanto as pessoas lembram de você.”, Theo, A Million Little Things.

A frase à cima foi dita pelo pequeno Theo,  no mais recente episódio de A Million Little Things. A cena aconteceu quando ele tomou a iniciativa de fazer um discurso em homenagem ao Tio Jon, no jantar em memória de um ano de seu falecimento, que reuniu todos os amigos na casa de Delilah.

episódio dessa semana, como o próprio nome já indicava, foi uma homenagem ao Jon, um ano após a sua morte. Confesso que muita coisa aconteceu nessas duas primeiras temporadas, que fiquei com a impressão de que o suicídio do Jon, que aconteceu lá no episódio piloto, havia ocorrido há muito mais de um ano. Podemos até brincar e dizer que aconteceram um milhão de pequenas coisas, certo?

Trocadilhos a parte, o episódio inteiro foi bem emocionante e, na minha opinião, poderia ser considerado digno de final de temporada, pela forma como os roteiristas encerraram alguns plots e deixaram alguns ganchos em aberto. Mas vamos separá-los em partes.

Gary e Maggie (e Jon)

Não podemos negar que a partida repentina de Jon foi um “acorda pra vida” para todos os seus amigos que, através da dor, buscaram uma maneira de realizar seus sonhos que haviam sido deixados de lado. Rome resume muito bem o momento atual de todos, quando ele fala que eles estavam perdidos, e que agora todos estão em uma situação melhor, – “Não porque o Jon morreu, mas por que ele nos convenceu a viver”.

Continua após a publicidade

E é nítida a evolução de todos os personagens nesses dois primeiros anos da série. Entretanto, um pouco antes do jantar, enquanto jogava basquete com Eddie e Rome, Gary expôs sua frustração e insatisfação do momento atual de sua vida. Gary tem se dedicado tanto aos seus amigos, que acabou se colocando em segundo plano. Resultado: perdeu seu emprego, terminou seu relacionamento com Maggie e, desde então, fica se divertindo com as professoras da escola do Danny.

“Imagem: ABC/Divulgação”.

Essa frustração vem à tona logo depois de um sonho que Gary teve com Jon logo nos primeiros minutos do episódio, onde eles estavam jogando vídeo game na casa de Gary, porém, vemos um Jon careca e fazendo quimioterapia. No sonho, Jon precisa da ajuda do Gary, mas ele não consegue ajudar seu melhor amigo. Gary vê Maggie se aproximando, porém, ela vai embora e Jon diz que o tempo de Gary esta acabando, logo em seguida, vemos um cronômetro com contagem regressiva que, quando chega no zero, Jon desaparece e Gary se desespera, meio que perdido sem saber o que fazer.

Resultado…

Confesso que cheguei a acreditar que Gary iria procurar Maggie depois do jantar, assim que Rome revelou que ela aceitou a oferta de Oxford. Além disso, que ela embarcará em uma semana. No entanto, ele ligou para a mãe do amiguinho de Theo, que ele conheceu no episódio passado. E pensando bem, até entendo essa sua escolha, o Gary nunca iria impedir Maggie de realizar o seu sonho. Mas será se ele pensaria de outra forma, se descobrisse que Maggie não está muito feliz de ter aceitado essa proposta e que ainda gosta do Gary?

Rome e Regina (e Walter).

Essa semana a série deu um tempo no processo de adoção/violência doméstica, que R&R acabaram se envolvendo durante essa temporada. Rome desvia um pouco o seu foco, na tentativa de convencer seu pai para ir a terapia. Porém, as coisas não saem como planejado, já que Walter revela que leu o roteiro escrito por Rome, que foi baseado em fatos reais, e ele reclama por que seu filho nunca conversou sobre a tentativa de suicídio e o que seu filho estava passando naquele momento.

Rome já havia revelado que o suicídio de Jon salvou sua vida. Quem não lembra, lá no episódio piloto, quando Rome encheu sua boca com pílulas, também na tentativa de acabar com sua própria vida, pois passava por uma forte depressão naquela época, e que ele enfrentava completamente sozinho? No entanto, ele superou essa forte depressão, e que está muito melhor agora, mas Walter confronta seu filho, o que deixa Rome chateado pelo fato de seu pai não se importar, por ele ter superado e está bem melhor nesse momento.

Walter é um pessoa difícil de conversar e, nem sempre, tem ciência do efeito que tem sobre Rome. Então, quando Regina vai confrontar seu sogro, ela revela que Walter tem medo de se ver em seu próprio filho, pois ele é um homem que passou a vida inteira lutando (e negando) sua depressão. Logo depois, Walter e Rome tem um encontro bem agradável, e Walter aprende que ele tem que mostrar a Rome o quanto o ama, porém, de outras maneiras.

Sophie e Eddie (e Jon).

Eddie também teve seu encontro com Jon, e revela para Gary como foi o seu sonho. E vemos Eddie e Jon em um barco de pesca, Eddie está muito bêbado e, enquanto tentava pegar uma outra cerveja, ele esbarra no Jon que cai na agua, porém, quando Eddie tenta resgata-lo, ele puxa uma mão, mas logo nota que é uma mão feminina, assustado, ele solta a mão e deixa a menina se afogar. Esse sonho deixou Eddie confuso e intrigado.

Gary simplifica, dizendo que ele estava bêbado por ser um alcoólatra em recuperação, e a menina que ele tenta salvar é a Sophie. Mas isso não o convence, e nos momentos finais do episódio, Eddie liga pra sua irmã e pede para que ela conte mais detalhes sobre à noite da morte de Alex. E deixa algumas perguntas no ar: Seria Eddie culpado pela morte de alguém? E o Jon sabia de algo?

Em um outro momento, finalmente, Sophie decide passar uma borracha nos últimos acontecimentos e resolve perdoar Eddie. A filha mais velha de Delilah fica mexida, logo depois de ouvir uma conversa entre Eddie e sua mãe, e descobre que ele nunca foi ao cemitério visitar o túmulo de Jon, pois ele se sente culpado. Então Sophie decide levar Eddie para visitar seu pai, e assim, Eddie enfim consegue pedir desculpas e se despedir de Jon. E com esse gesto, Sophie e Eddie fazem as pazes, deixando todos felizes.

Delilah e Katherine (e Jon)

“Imagem: ABC/Divulgação”.

Uma coisa que eu sentia muita falta na primeira temporada, era de mais momentos entre Katherine, Regina e Delilah juntas. No começo até era compreensivo o afastamento de Katherine, quando veio à tona o caso entre Delilah e Eddie, e logo depois também veio a gravidez, no entanto, a amizade falou mais alto.

E foi lindo quando Katherine disse que chegou a pensar que nunca mais faria parte do grupo, quando Jon partiu. Isso porque ele era o único que fazia com que ela se sentisse à vontade, mas que agora está muito feliz e que todos são como uma família para ela. Logo depois, é a vez de Delilah deixar Katherine sem palavras com sua surpresa. Ela cede um espaço que era utilizado como estoque do restaurante, para que Katherine possa montar seu próprio escritório, já que ela pediu demissão da firma de advocacia que trabalhava, e Delilah diz que Jon estaria muito feliz pela Katherine.

Não sei se esse acúmulo de felicidade inspirou Katherine, mas ela então sugere uma celebração para renovar seus votos de casamento, já que eles estão prestes a celebrar 12 anos juntos, o que deixa Eddie bem feliz.

Cena esperada…

Nos minutos finais, Delilah também teve seu encontro/sonho com seu falecido marido. Jon aparece e diz que ela precisa dar uma chance para o Miles – o rapaz que ela conheceu no bar no episódio passado. Delilah diz que “ele não é o Jon”, e ele responde que ela precisa deixá-lo ir, e que ele deseja que Delilah seja feliz. Assim, vemos Delilah dormindo no sofá, em paz, pronta para começar uma nova fase de sua vida.

O episódio 18 Mothers and Daughters foi exibido nessa última quinta-feira, dia 19/03/2020 – em breve postarei a crítica aqui no site. Tudo indica que descobriremos mais sobre o possível envolvimento de Eddie na morte de uma pessoa por afogamento, que vimos durante o sonho que ele teve com o Jon, e confesso que estou bem ansioso para o desfecho do processo de adoção de Rome e Regina, e o que acontecerá com Eve e seu namorado violento. Abaixo, o vídeo promocional do próximo episódio de A Million Little Things.

Lembrando que A Million Little Things ainda não foi confirmado – oficialmente – para a sua terceira temporada, mas fico aqui na torcida.

E você, o que achou desse episódio? Será que a Maggie realmente vai para Oxford ou vai deixar seus sentimentos pelo Gary falarem mais alto? E Delilah realmente está pronta para um novo romance? Deixe nos comentários sua opinião.

Nota do episódio10
"Crítica do décimo sétimo episódio da segunda temporada de A Million Little Things, da ABC, intitulado "One Year Later".
10

1 comment

Add yours
  1. Avatar
    Paulo 24 março, 2020 at 15:36 Responder

    Que bom ver uma crítica tão bonita desse episódio lindo.
    Eu tô amando essa série e a forma como ela é desenvolvida e seus personagens.
    Fiquei muito feliz com o desfecho entre Sophie e Eddie e com a possibilidade de um novo começo para Kat, que evoluiu muito nessa temporada.
    Agora, tô com medo de forçarem essa amiga da Kat pro Gary e perdermos a Maggie… :'(

Post a new comment