Crítica: 3×12 de Chicago Med força a barra

Imagem: NBC/Divulgação

Continua após as recomendações

Pinto Lobo só pode estar muito desesperado!

Born This Way foi forçado ao máximo. Falta de química, cenas sem noção e casos estranhos culminaram no que, para mim, foi um dos piores episódio da temporada.

Como engolir um parto no meio da rua, num frio abaixo de zero e dizer que aquilo é normal ? Gente, fala sério. Não precisa entender de medicina para saber como aquilo podia ser mais errado.

Continua após a publicidade

Primeiramente, aqueles médicos poderiam ter a licença cassada! Uma criança dando a luz a outra criança, infecção, bolsa aminótica rompida há 2 dias (DOIS DIAS!). Aquele bebê podia morrer, a mãe poderia morrer, tanta coisa podia dar errado ali que eu nem consigo descrever. Como os produtores tiveram coragem de colocar esse enredo? Uma episiotomia sem anestesia e suprimentos sendo levados do hospital sem perguntas feitas? Não consigo acreditar até agora.

April, sempre tão certinha, sempre estão do lado de seus pacientes, mostrou seu lado cheio de julgamentos.  Não, eu não estou “defendendo um pedófilo”, mas o cara conseguiu levar uma vida digna mesmo com suas “urgências” e merecia sim escolher seu tratamento, ou recusá-lo. Fiquei ao lado do Will que fez jus ao seu juramento médico e tentou o possível, mas entendeu que o que era melhor para seu paciente não era sua opinião, mas sim a escolha do próprio. Para mim, ele tomou todas as decisões corretamente no caso. Só queria que a Naty tivesse o mesmo crescimento que ele está tendo. Está na hora de parar de pirracinha, não?

Charles está com a língua coçando para entregar o pai psicopata da Reese. Eu já teria entregado. Ético como só ele, mesmo vendo que a coisa está rolando morro abaixo, continua se segurando. Prevejo muito choro pela frente. Essa menina não tem folga, né não? Uma mãe transtornada e um pai psicopata? Tem razão dela se identificar tanto com a psiquiatria.

Imagem: NBC/Divulgação

Falta de química? A gente vê por aqui.

Pelo amor de Deus! O que foi o breve romance do Connor e da Bekker? Gente, até um poste e o asfalto tem mais química. Não dá pra engolir aqueles dois. Para enquanto dá tempo, amigos. Sério!

Acho que esse casal ainda será muito explorado na série, mas, sinceramente, não consigo shippar. Até ele e a filha do Charles era melhor. Sei não. Acredito que uma reviravolta nesta parte será muito necessária para fazer colar esse casal.

Eu esperava mais deste episódio, fiquei bem decepcionada. Tomara que semana que vem eles voltem com a força toda.

Confiram a promo do 3×13 deixem sua opinião. Como Chicago Med vai sair dessa onda de chatice? Até semana que vem, povo!

 

4 comentários

Adicione o seu
  1. Avatar
    Thata Permann 26 março, 2018 at 13:24 Responder

    Eu concordo plenamente no que diz respeito ao romance da Bekker com o Connor! Achei forçado desde o começo (ela implicando com cada coisa q ele fazia e querendo se mostrar pro chefe). A achei insuportável desde o começo, mas depois q a filha do Charles largou ele já previ q eles iam forçar ainda mais a barra desses dois. Até pulei a parte do outro ep q eles ficaram juntos pq eu não quis acreditar q eles tiveram a coragem. Pq precisa coragem!

    O resto do ep não me surpreendeu tb, a adolescente parindo no meio do frio debaixo da ponte já foi bizarro, mas mais bizarro ainda foi a Natalie se prestar a esse papel do Choi. Ela resistiu tipo 2 segundos no começo do ep, dps foi correndo até ele e até pegou instrumentos do hospital. Tudo foi muito surreal.

Post a new comment