Crítica: 4×18 de The Good Doctor trouxe escolhas imprudentes

Imagem: ABC/Divulgação.

Um pequeno deslize após acertos em The Good Doctor

Com um episódio ligeiramente confuso, aqui estamos mais uma semana. Após alguns acertos importantes, The Good Doctor peca na narrativa, do mesmo modo que já fez outras vezes durante os quatro anos de produção. Nesse sentido, a série joga um plot extremamente aleatório para tentar movimentar o final de sua temporada. Ao passo que incertezas sobre uma quinta e última temporada vão chegando, não sei se é o melhor momento de se arriscar.

Continua após publicidade

Ainda que tenhamos uma excelente estabilidade de conteúdo neste quarto ano, a série não anda muito bem das pernas. Será que Freddie Highmore dará início a uma maldição de cinco temporadas em suas séries?

Continua após a publicidade

Bom, como um bom amante de produções eu acho que cinco anos são mais que suficientes… Mas vamos deixar de papo furado e voltar com o foco para o episódio.

Continua após publicidade

Já que é pra tombar…

Bom, já era esperado que Shaun e Lea gostariam de ocupar sua mente após as últimas semanas. Ainda um pouco impactado com o aborto da garota, acredito que os produtores devam ter pensado muito em como abordar o luto.

Não há problema algum em diversificar as intensidades do episódio, entretanto, achei a questão cirúrgica um pouco demais. Sabe aquela frase: “me formei em dezessete temporadas de Greys Anatomy!”? Pois bem, Lea já tem propriedade para poder utilizá-la.

Continua após publicidade
Imagem: ABC/Divulgação.

Gatilhos da escrita

Ainda que a situação de Lea e Shaun tenha sido bizarra, não se compara a Debbie e Glassman. A personagem ficou fora por alguns episódios e agora retorna em uma situação de crise. A discussão do porte de armas é super válida, entretanto, foi feita de forma completamente desconexa. Primeiro que há tempos não vemos uma discussão entre os dois, pelo menos não que me lembre.

Segundo que uma crise em um casamento geralmente vem de sequência de problemas. Foi sim uma discussão calorosa, com erros de ambos os lados. Todavia, acho que teve um péssimo contexto para o episódio.

Poderia ter sido muito melhor trabalhado, inclusive com uma mensagem super importante relacionada a presença de armas dentro de casa. Acredito que esse tenha sido o maior erro da série até o momento.

Desenvolvimento de “plots” soltos

Bom, os casos da semana serviram apenas de gancho para alguns plots de personagens principais. Claire ainda está com as dificuldades do relacionamento com seu pai. Acho que esse é um bom desenvolvimento para uma personagem que tanto sofre nessa série. A retomada do contato pode trazer grandes momentos para ela e finalizar alguns problemas do passado.

Por outro lado, Morgan e Park estão cada vez mais desorganizados em seus sentimentos. Acredito que a finale de duas partes que virá nas próximas semanas pode ser um excelente momento de estruturação para o quinto ano de The Good Doctor. Abaixo, deixo você com a promo de um episódio que promete boas emoções fora do St. Bonaventure

E então, o que você achou do episódio? Deixe nos comentários e, igualmente, continue acompanhando as novidades do Mix de Séries.