Crítica: 7×12 de The Flash teve despedida de personagem original

O fim de uma era

Critica The Flash 7x12

The Flash teve mais uma baixa no elenco fixo original da série nesta temporada. Depois da rápida despedida de Tom Cavanagh no início da temporada, o episódio “Good-Bye Vibrations” foi todo centrado na despedida de Carlos Valdes e seu Cisco Ramon. Consequentemente, também de Victoria Park/Kamilla. Apesar de ser uma despedida que vem sendo adiada desde a quarta temporada, o episódio mostrou como o personagem fará falta.

Continua após publicidade

O fim de uma era

Cisco está presente desde antes de The Flash ganhar carta verde para sua própria série. Sua primeira aparição aconteceu ainda na segunda temporada de Arrow. Seu personagem nerd era o alívio cômico em grande parte dos episódios da série, sendo muito querido pelos fãs, mas também teve seus altos e baixos. Mas não esperávamos vê-lo se despedindo antes do final da série. Provavelmente tenha sido uma consequência de seu direcionamento nas últimas temporadas, onde seu personagem ganhou tons mais sérios e profundos, além de seus relacionamentos conturbados. Contudo, nesta sétima temporada os roteiristas conseguiram resgatar as origens do personagem através de seu alívio cômico nerd. Até mesmo seu relacionamento com Kamilla se estabilizou de forma a acrescentar aos dois personagens.

Continua após a publicidade

Este episódio 12 foi perfeitamente a despedida que Cisco merecia. Ou seja, foi divertido do começo ao fim, teve seus momentos estranhos e fechou com cenas marcantes. Cisco se despedindo dos amigos Barry e Caitlin, os flashbacks de cenas das sete temporadas, fechando com o karaokê. Tudo contribui para homenagear o personagem e mostrar como ele fará falta dentro da série. Mas espero ao menos que Carlos Valdes volte esporadicamente para participações especiais no restante da série.

Continua após publicidade

O que está por vir?

Enquanto isso tivemos a apresentação da nova Rainbow Rider que foi um pouco exagerada para a série, mas no final acabou se encaixando na proposta do episódio. E ainda fomos deixados com um mistério envolvendo Cecile que pode tanto desencadear a trama dessa segunda metade da temporada como pode apenas ser um cliffhanger para o próximo episódio. Portanto, depois da fraca conclusão da primeira metade dessa sétima temporada, a esperança é de que a nova trama seja ao menos superior.

Imagem: The CW/Divulgação

CURIOSIDADES:

Continua após publicidade

– O nome Carrie Bates, da Rainbow Rider 2.0, é uma homenagem a Cary Bates, criador do vilão nos quadrinhos em 1980.

– O team Flash original canta ao final do episódio “Poker Face”, da Lady Gaga, referência ao episódio piloto quando Barry sai do coma ao som da música.

– Quando Cisco mostra a Chester o departamento de arquivo do STAR Labs, é possível ver vários itens referentes a heróis e vilões que já passaram pela série.

E então, o que você achou do episódio? Deixe nos comentários e, igualmente, continue acompanhando as novidades do Mix de Séries.

Nota: 4/5

Jornalista e apaixonado por séries. Tem a mesma profissão de Clark Kent, usa óculos parecido, mas infelizmente não é super-herói. Grande fã de séries de super-heróis e fantasia. No Mix de Séries escreve as reviews de Arrow e The Flash.