Crítica: 8×02 de Arrow continuou as homenagens a temporadas passadas

Imagem do episódio 8x02 de Arrow

A oitava e última temporada de Arrow tem sido uma grande surpresa para os fãs

Engraçado pensar que essa que será a temporada de Arrow com menor número de episódios, apenas 10.

Porém, é a temporada que tem o papel de encerrar uma grande história, ser base para o maior crossover de séries de super-heróis da TV, e ainda conseguir homenagear a série precursora desse grande universo compartilhado de super-heróis da DC na TV. Sem contar que ainda pode dar o pontapé inicial para uma futura nova série. Bastante para pouco tempo, só que o que já foi mostrado até aqui prova que a produção não está medindo esforços para entregar um último ano à altura.

Para sua última temporada, os roteiristas assumiram um risco grande. Deixaram de lado apenas a trama central de Star City e do Arqueiro Verde, para focar em uma trama maior que liga todas as séries da DC. Um risco porque não é todo fã de Arrow que acompanha fielmente o restante das séries. Mas o cuidado que a produção tem tomado tem se mostrado impecável. Isso porque os episódios tem balanceado bem tudo o que precisa ser mostrado e construído semana a semana até o seu episódio final. Seja referente a história de Oliver Queen e aos heróis de Star City, ou ao que está por vir na Crise das Infinitas Terras.

Tributo à Arrow

Enquanto a season premiere foi uma grande homenagem a primeira temporada de Arrow, este episódio foi um tributo a terceira temporada. Mais especificamente o tempo em que Oliver viveu em Hong Kong. Tivemos de volta vários elementos daqueles flashbacks: Tatsu/Katana, agora usando duas espadas, e China White e a Tríade. Tatsu teve sem dúvidas sua melhor participação na série até aqui neste episódio. Apesar de ter protagonizado algumas pequenas falhas técnicas em cenas de ação, teve uma grande melhora em sua caracterização, história e atuação. China White, a primeira grande vilã de Arrow, também teve um retorno merecido que trouxe aquela nostalgia da primeira metade da série.

Continua após a publicidade

A grande reviravolta do episódio aconteceu através de Lyla Michaels. A personagem até então parecia ser apenas uma adaptação da personagem original de mesmo nome dos quadrinhos de Crise nas Infinitas Terras. Mas neste episódio foi revelado que ela é de fato uma adaptação da Precursora e, assim como sua contraparte, está trabalhando com o Monitor, que nos quadrinhos é filha adotiva de Mar Navu. Com isso a expectativa para o grande evento só continua crescendo.

Ótimas performances

Katie Cassidy e Stephen Amell entregaram mais uma vez grandes performances. Laurel passou por todos os cinco estágios do luto dentro do episódio: negação (a recusa em acreditar no fim da Terra 2), raiva (de Oliver e China White), negociação (tentar concertar o transportador), depressão (culpa por ser sobrevivente) e aceitação (se unir a Oliver para impedir Monitor de destruir outros mundos). Com isso, Katie esteve no ponto, entregando um belíssimo trabalho de atuação. O mesmo para Stephen que teve seus grandes momentos ao mostrar estar lidando com sentimentos muito fortes em relação a sua família e a carga que tem carregado sobre si, culpa de Monitor.

Uma grande falha que tem se prolongando desde a segunda metade da temporada passada tem sido os flashfowards. Apesar da tentativa de aproximação dos irmãos, nada de mais importante aconteceu de alguma forma. Sem ação, sem uma trama mais densa. Arrow tem lutado com este arco de história e precisa demonstrar logo um propósito mais concreto para sua existência dentro da série, principalmente desse último ano.

Welcome to Hong Kong” foi um excelente capítulo para essa última temporada da série. E embora seu retorno a uma fase desinteressante de Arrow, o peso emocional da première e a Crise iminente levam o episódio adiante sem problemas, com um ótimo roteiro e performances. O retorno de rostos familiares e grandes cenas de ação fizeram também a diferença. Apenas a trama paralela do futuro precisa ser acertada o quanto antes para que não comprometa a qualidade dessa oitava temporada.

Imagem: The CW/Divulgação

CURIOSIDADES:

– Laurel descobrindo que a Terra 2 não existe mais é parecido com a história original de Crise nas Infinitas Terras. Nos quadrinhos, Jay Garrick e Wally West descobrem que a Terra 2 não existe mais.

– Diggle pergunta a Oliver porque o Monitor não resolve a situação, com todo seu poder, apenas estalando seus dedos. Referência a Thanos em Guerra Inifinita.

– Nos quadrinhos, Lyla Michaels foi encontrada em alto mar sobrevivente de um naufrágio. Resgatado por Monitor, que a adotou como herdeira, transformou-se na Precursora (Harbinger em inglês), um poderoso recurso de Monitor na guerra contra seu gêmeo maligno, o Anti-monitor. Ela o ajuda a reunir os heróis de todo espaço-tempo. É morta por um esquadrão de Darkseid na ilha de Themyscira.

cw.com

Nota do Episódio9
Review do segundo episódio da oitava e última temporada de Arrow, da The CW, intitulado "Welcome to Hong Kong".
9
Tags Arrow
Avatar

Álefe Cintra

Jornalista e apaixonado por séries. Tem a mesma profissão de Clark Kent, usa óculos parecido, mas infelizmente não é super-herói. Grande fã de séries de super-heróis e fantasia. No Mix de Séries escreve as reviews de Arrow e The Flash.

No comments

Add yours