Crítica: A emoção e o aprendizado invadem o 2×04 de The Good Doctor

Imagem: ABC/Divulgação

Sinceramente, esse é um dos melhores episódios já produzidos de The Good Doctor. Não pela dinâmica de grandes plot twists, por uma cirurgia extremamente complicada ou por um acontecimento gigantesco na vida de Shaun.

Essa semana foi simplesmente emoção e aprendizado. O mais interessante foi ver que, todos os plots giram em torno do mesmo centro. Há uma frase bem curiosa que diz: “aprender a amar significa estar preparado para deixar ir”. Ela se encaixa perfeitamente nessa semana. Mesmo que a partida não tenha motivos para voltar, mesmo que doa… Todos temos a liberdade como condição social primordial.

Polêmica não foi o que faltou ao se discutir os casos…

Abrindo a pauta dos casos da semana, tivemos duas situações que vão de encontro ao psicológico e as relações familiares. Primeiro, um caso que vai mais para um questão de prioridades na vida e relações conturbadas pai x filhos. Conseguimos observar que foi o amor que fez com que os pais tomassem a atitude da cirurgia, contudo, vem a tona toda uma questão de maioridade e maturidade de decisão. Até que ponto a garota estava preparada para enfrentar as consequências da cirurgia?? Não vou me delongar muito por aqui porque é uma situação bem complicada e que tange diversas esferas político-sociais, mas deixem seus comentários para discussão…

Continua após a publicidade

Imagem: ABC/Divulgação

Enquanto isso, o quadro da mãe que queria deixar seu filho nos pega de surpresa, principalmente porque há opiniões bem divergentes quanto a essa situação. Vi pessoas defendendo a mãe por não ter condições psicológicas de lidar com a situação. Vi pessoas dizendo que essa é uma realidade e que há diversas pessoas que vão contra o mundo para criar um filho. Não vou entrar em defesas por aqui, contudo, tenham certeza que não é fácil e a série conseguiu captar bem essa essência. Ambos os casos vão de encontro a despedida de um amor…

Shaun e Glassman, uma dupla incrível e um show de atuação!!

Mas pra quem acredita que isso ficou recluso aos casos, não para por aí. Talvez não tenham percebido, mas na última review eu já cantei a pedra de que Richard Schiff ia mandar muito bem na atuação dessa semana e não deu outra. Estamos cada vez mais perto de entender por completo a relação pai e filha com Maddie. Foram momentos tensos, os gritos alucinados pelo hospital, o olhar dos médicos e enfermeiros para ele. Nosso médico está enlouquecendo por conta da cirurgia. Ao fim das contas, ele precisou deixar a filha ir para entender mais do seu amor. Tivemos então, um final muito bem conectado com o momento em que ele adormeceu.

Teve mais despedidas?? Claro que sim e essa, inclusive, já ocorreu há muito tempo, vindo com o reencontro conturbado. Lea e Shaun viveram um bom pé de guerra nas últimas semanas. Quando acreditamos que tudo estava certo, vem aquela bomba final. Nosso médico realmente não tem um dos melhores sensos críticos, mas tem um bom coração. O trabalho de Freddie como Shaun está cada dia melhor e não temos como não enaltecer isso.

Parece que teremos um próximo episódio de fortes emoções, contudo, não entregaram muito na promo. Neste caso, nos resta aguardar para ver o desenrolar das situações… Aguardo vocês aqui na próxima review e não deixem de acompanhar as notícias aqui no Mix.

Um abraço e até lá…

Surgery Notes 01: O que foi aquele encontro de Melendez?? Será irmã ou paciente dele?? Ansioso para descobrir…

Surgery Notes 02: Vocês perceberam como o episódio respira sem o ranço do Marcus? Já podem voltar com Jessica e deixar ele pra geladeira…

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=wDQzfr7Ak-k[/youtube]

Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

No comments

Add yours