Crítica: American Crime Story destaca Donatella no episódio 2×07

Imagem: FX/Divulgação

Continua após as recomendações

O pecado da temporada continua sendo a desconexão dos episódios, ainda que tenha se encontrado mais nessa semana.

Continua após a publicidade

Após o foco estabelecido em Andrew, já estava na hora de vermos a família dos ovos de ouro. E gente, sejamos sinceros, que atuação. Os Versace não só apresentaram o conceito por trás da empresa, mas também a família e apoio presentes ali.

Andrew também apareceu, mas de modo reduzido se comparado aos outros episódios. A inserção dele no mundo de programas já era esperada, mas não é que ele teve a ver com a morte do ex de Norman? Essa morte foi muito inesperada, levei até um susto, vocês não?

O Jeff e o David voltaram a aparecer e gente, que dó da morte deles, sério. Os dois eram fofos e só fizeram bem pra quem viria a ser seu assassino. Acredito que a função dessa volta no tempo é vermos exatamente isso. O fato de Andrew ter se voltado contra pessoas que o apoiaram, amaram mas que nunca significaram o que ele realmente queria: aceitação e sucesso. Ele não suportava nada abaixo disso e a agressão com a mãe provou isso.

Que nervoso ao ver as ações da mãe dele, a mulher fechou os olhos para o comportamento sociopata do filho, não tinha como nem fingir que estava tudo bem ali. A obsessão pelo Versace também já estava ali, só não tão desenvolvida.

Mas Gianni estava ocupado com seus problemas nesse momento. O estilista apresentava o auge da sua doença e doeu em todos nós vê-lo sofrendo daquele jeito.

O que não deixou dúvidas foi que ele tinha receio de Donatella assumir o poder. Por ela não ter tanta competência? Pode ser, mas sabemos que isso não é verdade. Penelope conseguiu passar toda a força e luta interna da irmã naquele momento, ela tinha que se manter firme mas aquele que era seu apoio estava ruindo. Foi muito triste a cena dela falando com a equipe, não acharam?

Com isso nos sobram poucos episódios e muitas dúvidas, afinal, Gianni pegou a doença de Andrew? Ou na verdade o estilista só era um dos devaneios do assassino?

Nota: Meu Deus, ranço define a cena do Andrew repetindo a história da amiga do David, como se fosse dele. Dá até uma ânsia.

Nota 2: É muito engraçado como todos que conviveram com ele ao longo dos anos, nunca acreditaram que havia algo de muito errado nas histórias e mentiras.

Nota 3: Donatella toda emponderada com aquele vestido saído diretamente de Cinquenta Tons de Cinza.

A temporada já está chegando ao fim mas será que chegaremos a conhecer o pai de Cunanan? Não sei muito o que esperar dos últimos episódios, mas com certeza teremos vestígios dessa série nas premiações do ano. Mas enquanto isso confere a promo do próximo episódio aqui em baixo e nos encontramos na próxima review, até!

Avatar

Gabriela Scampini

Paulista, estudante de Direito e geminiana. Apaixonada por livros e séries, mesmo sem ter tempo pra nenhum dos dois. No Mix, escreve a coluna #MixAudiência, além das reviews de American Crime Story, Black Mirror, Chicago Fire e The 100.

No comments

Add yours