Lynda Carter revela ter sido vítima de assédio sexual durante gravações de Mulher Maravilha nos anos 1970

Lynda Carter, Mulher Maravilhosa

Imagem: CW/ABC/Divulgação

Continua após as recomendações

Atriz que viveu Mulher Maravilha na TV foi vítima de assédio.

As denúncias de assédio sexual que surgem em Hollywood desde o ano passado são apenas a ponta do iceberg se destacarmos as décadas desse mau comportamento na indústria.

Continua após a publicidade

A atriz Lynda Carter, que viveu a Mulher Maravilha na famosa série dos anos 70, revelou que também foi vítima de assédio sexual no set de filmagens da série naquela época.

Em entrevista ao  The Daily Beast, Lynda, que hoje tem 66 anos, contou que um membro da equipe da série “abriu um buraco na parede do seu provador” para vê-la trocar de roupa.

Eles o pegaram, demitiram e expulsaram ele da indústria. Eu evitei denunciar. E tive medo. Se algum homem tentasse algo, eu diria ‘você está brincando comigo?’”, relembrou a atriz.

Atriz se recusa a divulgar nome do abusador.

Lynda Carter também afirma que foi alvo de abuso de um dos homens mais poderosos de Hollywood, que já está, inclusive, envolvido nas denúncias da campanha #MeToo. Mas a atriz se recusa a divulgar o nome do acusado.

“Não posso acrescentar nada às alegações. Eu gostaria de poder fazer, mas não posso. Legalmente, não há nada que eu possa adicionar. Eu sou apenas mais um rosto na multidão”, lamentou Carter.

Procurada pela imprensa para comentar o caso, a Warner Bros. TV, produtora responsável pela série, não quis comentar o caso.

Lynda Carter foi uma das primeiras mulheres a interpretar a personagem das HQ’S em uma versão live-action. A atriz voltou a se envolver em um projeto de super-herói recentemente, interpretando a Presidenta Olivia Marsdin, em Supergirl.