Crítica: Blindspot apresenta 3×14 com feitiço do tempo para explorar a história de Patterson

Imagem: NBC/Divulgação

[spacer height=”20px”]

Continua após publicidade

Uma nova dinâmica para movimentar a trama.

Everlasting surpreendeu ao trazer uma estrutura que não é uma novidade, mas que se encaixou muito bem para contar a evolução de Patterson e explodir nossa cabeça com a cena final.

Continua após a publicidade

Existem estruturas de episódios que são coringas para o arco narrativo de uma temporada. Episódios em preto e branco, realidade alternativa, estilo documentário (Blindspot já fez isso), nostálgico (prendendo os personagens em um lugar para relembrar os grandes momentos da série), entre outros. Blindspot escolheu o clássico feitiço do tempo desta vez. Patterson ficou presa revivendo o mesmo dia, e precisava decifrar o mistério para poder se libertar.

Continua após publicidade

Por um momento, fiquei preocupado do roteiro viajar e sair completamente da realidade da série. Mas tudo foi muito bem amarrado, e a justificativa que tudo não passava de uma experiência da mente de Patterson, enquanto ela estava em coma, me pareceu aceitável. Essa foi a oportunidade perfeita para trazer de volta os “homens” da vida dela.

Claro que uma nova tatuagem estava envolvida e Patterson precisou correr contra o tempo para descobrir tudo. Um general sem escrúpulos organizava missões secretas e quando seu time era abatido em campo ele falsificava as autópsias. Quando ele tentou mais uma vez ocultar seu segredo Patterson acabou pagando o preço.

Continua após publicidade

Patterson se culpa por muita coisa de ruim que aconteceu aos outros.

Essa temporada de forma sutil vem mostrando que apesar de tudo nossa agente ainda superou seu passado. Pelas pessoas que perdeu, por ter sido enganada e todo o sofrimento e trauma que passou. Na verdade, esse episódio serviu para trazer paz à personagem, se desprender de seu passado, superar seus demônios e seguir em frente.  Todos os seus assuntos mal resolvidos tiveram um desfecho.

O drama de Zapata e Reade continua. Ele contou à amiga que pediu Megan em casamento e aproveitou a oportunidade para convidá-la a ser seu “padrinho”. De alguma forma sinto que esse casal ainda vai acontecer, é só uma questão de saber esperar.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

Zapata está sofrendo por ter que se mostrar amiga, quando na verdade sente muito mais que amizade. Como ela mesma disse, ela teve oportunidade de ficar com Reade e se afastou, agora é tarde. Mas acredito que após o segredo sobre Dragonfly ser revelado, isso irá estremecer ainda mais o relacionamento deles.

Com foco em Patterson, equipe ficou em segundo plano.

Kurt e Jane não tiveram muito espaço, mas tiveram tempo suficiente para mostrar que precisam aprender com os erros. Segredos e mentiras foram os problemas do casal. Eles não podem fazer o mesmo com Avery, principalmente agora que a garota está se permitindo uma aproximação. Espero que eles não sejam burros para criar uma relação com Avery baseada em mais mentiras e mais segredos.

Tudo resolvido, tatuagem decifrada, criminoso preso, Patterson se recuperando, mas ainda faltava algo mais. Confesso que assim como Patterson, também achei muito estranho Borden aparecer sempre separado do restante dos homens falecidos. A ideia de que ele talvez estivesse vivo começou a me incomodar.

Não demorou muito e o episódio encerrou justamente tirando qualquer dúvida. Borden está vivo e está preparando um grande ataque à cidade. Será que ele tem ligações com Hank Crawford? Como Patterson e a equipe vão reagir? Depois dessa bomba o jeito é continuar acompanhando a temporada que está se aproximando dos episódios finais.