Crítica: A bruxa está a solta no episódio 13×15 de Criminal Minds

Imagem: CBS/Divulgação

Continua após as recomendações

Chegamos ao terceiro episódio com Barnes no comando, e o drama certamente aumentou em um curto período de tempo.

O que começou como uma investigação aparentemente típica se tornou algo enorme contra a equipe, e alimenta ainda mais minhas suspeitas de que há algo mais profundo aqui.

Eu realmente espero que seja o caso, também, porque a tensão, bem como o final surpreendente, podem realmente ser um terreno fértil para uma mudança de ritmo na forma como a série normalmente faz as coisas. Eu gosto quando as coisas saem do lugar, e como cada um lida com as consequências de tudo isso. E eu realmente espero que eu esteja certa em meus pressupostos, de que há mais para Barnes do que apenas desestabilizar a equipe.

Continua após a publicidade

O caso também foi atado à atmosfera tensa, proporcionando alguns conflitos interessantes em ambos os lados, apesar de ter um final que não parece encaixar bem com a resposta de Barnes no final do episódio.

Como tende a ser típico da série, as coisas começam de forma bastante inocentes. Um grupo de quatro amigos estão todos juntos em sua sala de estar, digitando coisas em seus laptops, conversando sobre isso e aquilo quando num piscar de olhos tudo acaba em um massacre.

Então, qual é a história aqui?

De acordo com Garcia, todos esses amigos eram colegas de quarto, e todos os quatro foram assassinados. Tudo parece ter sido um assalto mas nada foi tirado. É nesse ponto que aprendemos que este caso não veio ao time através dos canais normais. Em vez disso, Barnes, pediu para oferecer os serviços da equipe.

Barnes então anuncia que ela estará acompanhando o time neste caso, e a equipe nem sequer se preocupa em esconder o fato de que eles não estavam felizes com esta notícia. Rossi lembra a Barnes que ela não é uma formadora de perfil, e Reid? Ele decide que ele não vai ficar em pé e vê-la desarmar ativamente o time, então, depois de uma defesa em favor de Emily, ele declara que vai sair do caso. Depois que ele sai, Barnes desafia os outros a se atrevem a puxar um golpe semelhante, mas eles relutantemente se abstém.

A única razão pela qual houve morte neste episódio é por causa da obsessão de Barnes em fechar um caso de alto perfil o mais rápido possível. Então, em vez de permitir que a equipe se aproximasse do insub metodicamente, ela apressou o objeto de sua fantasia na linha de fogo, resultando na morte do insub.

Com o caso resolvido mesmo com a interferência constante de Barnes. Mas tudo explode no avião na volta da equipe para casa, JJ explode por um momento com Barnes, foi um momento bastante satisfatório, não vou mentir.

Quando a equipe retorna ao escritório, todos concordam que este foi o tipo de dia que requer muita bebida e planeja sair para um bar local, felizes sobre como lidaram com Barnes. As coisas ficam ainda melhores quando Reid e Emily se apresentam para juntar-se a eles.

É aí que os tempos felizes terminam, no entanto, quando Barnes volta para fazer um anúncio. Ela afirma que ela e o Diretor analisaram a situação do ultimo caso e decidiram que a equipe sofreria modificações. Rossi sendo convidado a se aposentar, Prentiss sendo reintegrada ao FBI em novo cargo, Lewis e Garcia sendo transferidas para outro departamento, Reid como orientador em algum programa, Simmons e Alvez talvez permaneçam na equipe e JJ sendo promovida a sub-chefe do BAU agora comandado por Barnes.

Isso não pode ser o fim. Pode?

Nenhum comentário

Adicione o seu