Crítica: Com mortes, episódio 15×03 de Supernatural foi avassalador!

Imagem do episódio 15x03 de Supernatural

A trama da temporada final de Supernatural está esquentando…

Dentre os três episódios que já acompanhamos nessa temporada final de Supernatural, o último foi, na minha concepção, o melhor.

E eu o considero como tal devido à ação real da série que se iniciou aqui. Vimos vários acontecimentos importantes e as tramas (finalmente!) começaram. Eu acredito que essa estratégia de atribuir consistência à temporada aos poucos – e acelerar seu ritmo depois – é um pouco angustiante para nós, que estamos assistindo. Porém, pode ser interessante no ponto de vista da construção da narrativa como um todo.

Belphegor revela seu plano

Vimos que os Whinchesters, Rowena Castiel chegaram a um plano, a fim de conseguir selar a fenda que Chuck abriu para que as almas saíssem do Inferno. E, se o comportamento do Crowley Jr. não me convencia antes, quem dirá nesse episódio, no qual estava bem evidente que ele iria aprontar algo.

Confesso que o fato de terem inserido esse personagem na história, assim como o Ardat (que contratara Ketch para caçar Belphegor), foram bem interessantes, pois serviram para nos lembrar de como os demônios de Supernatural realmente são, sem a influência de nenhum humano.

Continua após a publicidade

Cas, sob as ordens de Dean, foi com Belphegor até a Câmara de Lilith, no Inferno, para pegar o sifão que ela, segundo o demônio, poderia utilizar para colocar as almas em ordem. Mas o anjo descobriu, quando Ardat apareceu, que tudo aquilo era um plano de Belphegor para se tornar o novo Rei. Cas conseguiu impedi-lo, tirando-lhe a vida.

Inclusive, devo dizer que achei bem impactante a morte do Crowley Jr, quando o anjo se emocionou antes de matar o Belphegor, pois esse se passou pelo Jack, a fim de tentar impedir Cas de cumprir seu objetivo. Fiquei bem triste de ver o esforço que ele teve de fazer para conseguir utilizar seu poder e matar o demônio. Ele está se desintegrando sob os nossos olhos, perdendo tudo o que já foi um dia…

Ketch não trai os Whinchesters

Quem diria que logo o antigo membro dos Homens de Letras iria morrer para não delatar o plano de Sam Dean, não? Eu nunca gostei do Ketch, mas não pensei que o desfecho dele seria dessa forma.

No episódio anterior, Dean o mandou para o hospital, após alvejá-lo. Nesse, vemos que o demônio Ardat o encontra no hospital e lhe oferece uma chance de se redimir, por não ter cumprido o trabalho de matar Belphegor, ao pedir a localização de Crowley Jr.

Como Ketch se nega, Ardat logo conclui que ele está sendo fiel a humanos e o mata. Em seguida, pegou o telefone do caçador e enviou mensagens para o Dean, como se fosse o Ketch, descobrindo então a localização de Belphegor. Ou seja, a morte de Ketch foi heroica, mas teria funcionado melhor caso ele tivesse colocado uma senha em seu celular. Perguntei-me como que, com tanta tecnologia e experiência, o Ketch, logo o Ketch, deixaria seu celular tão vulnerável, mas ok!

Rowena se sacrifica para salvar a todos

Depois da morte de Belphegor e do plano inicial ter se desintegrado, Rowena retirou de seu corpo a sua última pedra de ressurreição (inclusive, eu não pude deixar de reparar em como ela sangrou pouco no momento em que se mutilou para pegar a pedra e em como ela demonstrou plenitude, logo após a extração).

A seguir veio a cena mais emocionante do episódio, na minha humilde opinião, que foi ela pedindo para que Sam cumprisse a profecia e tirasse sua vida. Assim, Rowena usaria seu corpo como o sifão para atrair todas as almas e se jogaria no Inferno. A fenda seria fechada e o caos seria controlado.

Quando o Sam chorou, confesso que me emocionei junto. Achei muito bonita a cena em que ela se joga dentro da fenda. E não poderia deixar de mencionar que o seu “Goodbye, boys!” foi triste demais. Uma bela despedida para a Rowena. Se a dela foi assim, me pergunto como será a de Cas.

Castiel vai embora

No final do episódio, o anjo e Dean, finalmente, conversam e Cas descobre que o Whichester ainda o culpa pela morte de Mary e pela de Rowena, também. Depois de falar que Dean costumava lhe dar o benefício da dúvida, antes e que, agora, nem mesmo em seus olhos o Whinchester conseguia olhar, Cas decide ir embora.

Eu concordo muito com a decisão dele, pois, por mais que ele tenha errado, Dean não é a pessoa mais adequada para julgar e condenar ninguém. O Dean é o meu personagem favorito na série, mas esse comportamento um tanto irascível dele está um pouco demais. Espero que ele não se arrependa disso tarde demais, assim como ocorreu quando viu Jack morto.

Mas, essa é apenas a minha opinião. O que vocês acharam desse episódio?  Bora aproveitar, porque restam apenas 17 episódios para teorizarmos!

Continuem acompanhando semanalmente nossas críticas de Supernatural, aqui no Mix de Séries. cw.com 

Nota do Episódio10
Review do terceiro episódio da décima quinta temporada de Supernatural, da CW, intitulado "The Rupture".
10

No comments

Add yours