Crítica: Crise entre os Klingons no 2×03 de Star Trek Discovery

Com destaque para a primeira aparição dos Klingons nessa temporada, Star Trek Discovery entrega um bom episódio que deixa a trama ainda mais interessante.

Continua após as recomendações

Crise Klingon em Star Trek

Seguindo os acontecimentos da temporada passada, L’Rell agora é a chanceler dos Klingons. Mas, como não poderia ser diferente, sua liderança não foi bem aceita por todas as casas. Era de se imaginar que sua aliança com Tyler/Voq causaria revolta.

Além da formação do motim, fomos surpreendidos com a descoberta de que L’Rell deu a luz a um filho de Voq. Fica aí a dúvida sobre o papel e importância desse bebê no futuro da série e na manutenção da paz.

Continua após a publicidade

Seção 31

Além de L’Rell e Tyler, o episódio trouxe de volta Philippa Georgiou. A imperatriz do Universo Espelho agora faz parte da misteriosa Seção 31.

Para quem é novo no universo Star-Trek, a Seção 31 é uma divisão da Agência de Inteligência da Frota Estelar. Entretanto, pouca informação existe sobre a organização e o pouco que se sabe é que ela é responsável por fazer o trabalho “sujo” da federação na manutenção da ordem na galáxia.

O seu nome é devido ao artigo 14, seção 31 da Carta Magna da Federação que permite a flexibilização de determinadas regras em casos específicos de grande ameaça.

No episódio, vimos que Georgiou não pensou duas vezes antes de atacar os Klingon dissidentes. Muito menos se sensibilizou ao ordenar que L’Rell se despedisse de Tyler e de seu filho. Ambos são considerados fraquezas para os interesses da Federação.

Vale lembrar que essa aparição da Seção 31 não é apenas importante para os acontecimentos de Discovery. Uma série focada na organização e protagonizada por Georgiou já está confirmada para um futuro próximo. Ainda é cedo para dizer o que esperar dessa nova série, mas há muito a ser explorado por essa ala não muito ortodoxa da federação.

O mistério de Spock

Uma das grandes histórias dessa temporada gira em torno da repentina internação e consequente desaparecimento de Spock. Com ligação direta ao aparecimento dos “sinais” e do “anjo vermelho”, Spock é peça fundamental na trama dessa temporada.

Continuamos sem saber o que de fato Michael fez para seu irmão que lhe causou um “dano irreparável”, como supos Amanda na conversa com a filha.

Embora já tenhamos visto a versão criança do lendário personagem, queremos mais. Sua aparição adulta é um dos momentos mais esperados da série.

Tilly busca ajuda

Finalmente Tilly resolveu buscar ajuda. Ao procurar Michael, a candidata a capitã mostrou que a relação das duas é uma das coisas mais legais da série. Embora tenha começado de forma confusa, a amizade entre as personagens vem crescendo e agregando à série.

Com isso, descobrimos o que de fato está acontecendo com a cadete. A explicação para as “alucinações” da personagem mostram como Star Trek sabe usar bem a ciência e a tecnologia em suas narrativas. Nada é tão absurdo e sempre há uma explicação sem apelar apenas para o acaso.

Nesses três episódios, Discovery mostra que tem potencial para crescer ainda mais. Continue acompanhando as reviews e notícias sobre a série aqui no Mix de Séries.