Crítica: Episódio 14×13 de Supernatural supera expectativas

Emocionadíssima com esse episódio de Supernatural!

Senti aquela vontade de prolongar este episódio de Supernatural por um bom tempo! A ideia de reunir a família Whinchester foi maravilhosa. E acredito que era o que faltava na série! Foi muito importante para os fãs e para os rapazes ver que os hunters tiveram a oportunidade de se sentar à mesa e dividir uma refeição com seus pais. E, já que a série fala tanto sobre família, nada mais justo do que em algum momento a família Whinchester se reunir com calma e em paz.

Continua após as recomendações

Nesse capítulo, Sam Dean se envolvem em um caso em que eles lidam com um indivíduo que roubou diversos objetos de um hunter. No final, eles ficam com os objetos. E Sam descobre que, entre eles, existe uma pérola que tinha o poder de conceder a realização de um desejo de quem a possuísse.

O que os irmãos pensam? Usar a pérola para pedir que Miguel deixasse Dean em paz. A ideia era boa, mas a execução foi bem diferente do esperado. Isso porque o desejo realizado foi o de trazer John Whinchester de volta. Como o próprio Dean falou, esse era o sonho que estava em seu coração desde que ele tinha quatro anos.

Continua após a publicidade

Muita emoção

Quando John ouviu a voz de Mary e os dois se abraçaram, foi bem emocionante. Sem contar que o Sam teve a oportunidade de dizer ao seu pai que todas as rusgas e desentendimentos que eles tiveram no passado ficaram lá. E que elas tinham um papel muito menos importante do que o fato de que Sam não havia conseguido dizer adeus para John.

Porém, tudo ia muito bem, até o ponto em que os irmãos descobriram que trazer o pai deles de volta havia alterado a linha do tempo. O que resultava em consequências desastrosas para todos. Com a alteração temporal, Dean se tornou um assassino procurado pela polícia. Sam se tornou palestrante sobre couve (sim, sobre couve, mesmo). Mary poderia desaparecer. E Castiel ainda era um anjo do Senhor, que trabalhava com Zacarias.

No entanto, o único ponto desse episódio que eu achei desnecessário foi o retorno de Zacarias. Ele ficou cinco minutos em cena – ou menos – e morreu.  Os dois anjos apareceram para descobrir quem havia alterado a linha do tempo e Cas quase mata Dean.

Sam destrói a pérola e manda John embora

No final, a saída encontrada foi John retornar para a sua linha temporal, localizada no ano de 2003.  O que dizer do momento da despedida? Eu queria que o John ficasse com os rapazes? Queria. Mas, como Dean falou: a realidade deles seria outra, se os acontecimentos tivessem sido diferentes. E ele estava feliz com o Dean que ele era naquele momento.

Aliás, tenho gostado muito da maturidade e da sabedoria que o Dean tem demonstrado. Percebemos que ele tem o lado brincalhão e tudo mais. Entretanto, ele também sabe conversar sério quando necessário.

Enfim, o que vocês acharam desse episódio?