Crítica: O encontro dos “Robins” no episódio 1×05 de Titans

Imagem: Netflix/Divulgação

Equipe. Essa é a palavra que define o quinto episódio de Titans

Um episódio de Titans que apresentou uma leve melhora em relação ao episódio anterior, mas que continua pecando em alguns aspectos.

O time Titans está finalmente reunido! Inesperadamente, precisou quase da metade da temporada para vermos o time unido. A série, como eu já falei em reviews anteriores, priorizou o desenvolvimento de alguns dos seus personagens, ao invés da ação desenfreada que é comum vermos em produções do gênero.

Com isso, aos poucos foi sendo construído o caminho que nos levou até aqui. Embora o terceiro episódio, Origins, tenha dado um salto importante nessa direção. No episódio passado, apesar da não tão necessária presença de outra equipe, sacramentou de vez a reunião do aguardado quarteto. Contudo, neste episódio, eles começaram a pensar e agir como uma equipe. Foi a gente que pediu, sim!

Continua após a publicidade

Os desvios narrativos

De todo modo, ainda que Together tenha sido um bom episódio, ele não deixou de cometer os mesmos erros que os seus antecessores. Impressionante como a série continua introduzindo outros personagens para dar apoio ao seus protagonistas. Ao invés de focar apenas naqueles que dão nome à série. Desta vez, essa função coube a Jason Todd, o segundo Robin.

DC, querida, não se preocupe, nós estamos aqui. Estamos vendo a série e comprando a ideia de vocês. Não precisa ficar entupindo os episódios de personagens conhecidos para chamar a nossa atenção. Além disso, essas introduções carecem muito de organicidade. Pegamos o Rapina e a Columba como exemplo. Eles foram inseridos na série porque o Dick queria um local para deixar a Rachel segura “por uns dias”. Oi? Com tantos lugares, tinha que ser justamente com eles?

Isso é o que me deixa mais frustrado. Se os criadores tomaram a decisão narrativa de incluir diversos personagens da DC na série, seja para apresentá-los para um projeto solo mais adiante, ou por qualquer outro motivo. Que pelo menos eles tivessem a decência de criar histórias coesas para eles. Espero que realmente essa entrada do Jason seja benéfica. Coisa que eu não acredito muito.

A equipe

Justamente quando a série foca naquilo que ela, de fato, deveria focar é que ela mais funciona. Ver a equipe atuando junta foi extremamente divertido e prazeroso. Dick, naturalmente, assumiu a liderança da equipe e os demais integrantes abraçaram (principalmente você, , Kory?) a ideia, e tudo parece muito promissor. Ver eles usando as suas habilidades juntos, Ravenna controlando um pouco o seu poder e o Dick quebrar todo mundo sem ter nenhum poder foi fantástico!

Confesso que a decisão narrativa de colocar o Mutano para se transformar em apenas um animal e de ter que se transformar sem roupa me confundiu um pouco. Geralmente, em materiais adaptados, os roteiristas tomam uma licença narrativa para facilitar as coisas e não dificultar como é o caso das roupas do Mutano. De todo modo, a série, sempre que se trata da equipe, está indo muito bem!

O que esperar do próximo episódio?

Com a entrada do Jason, não deve demorar ocorrer também uma aparição do Batman. Além disso, novos vilões terão que ser introduzidos, já que a Família Nuclear está fora de campo.

Easter Eggs e outras nerdices:

  • Aquelas bombas implantadas nas cabeças da Família Nuclear me lembraram MUITO Esquadrão Suicida.
  • A entrada do Jason abre portas para várias possibilidades. Já foi dito que todos os personagens que aparecerem em Titans poderiam ganhar a sua própria série.
  • Jason Todd foi o segundo Robin, que morreu pelas mãos do Coringa (numa das mais famosas passagens da DC). Ele ressuscitou através dos Poços de Lázaro e atualmente é conhecido como Capuz Vermelho.
  • Apesar da sua morte ter sido uma escolha do público, Jason tem uma considerável legião de fãs.
Tags Titans

No comments

Add yours