Crítica: O encontro dos “Robins” no episódio 1×05 de Titans

Imagem: Netflix/Divulgação

Continua após a publicidade

Equipe. Essa é a palavra que define o quinto episódio de Titans

Um episódio de Titans que apresentou uma leve melhora em relação ao episódio anterior, mas que continua pecando em alguns aspectos.

O time Titans está finalmente reunido! Inesperadamente, precisou quase da metade da temporada para vermos o time unido. A série, como eu já falei em reviews anteriores, priorizou o desenvolvimento de alguns dos seus personagens, ao invés da ação desenfreada que é comum vermos em produções do gênero.

Com isso, aos poucos foi sendo construído o caminho que nos levou até aqui. Embora o terceiro episódio, Origins, tenha dado um salto importante nessa direção. No episódio passado, apesar da não tão necessária presença de outra equipe, sacramentou de vez a reunião do aguardado quarteto. Contudo, neste episódio, eles começaram a pensar e agir como uma equipe. Foi a gente que pediu, sim!

Os desvios narrativos

De todo modo, ainda que Together tenha sido um bom episódio, ele não deixou de cometer os mesmos erros que os seus antecessores. Impressionante como a série continua introduzindo outros personagens para dar apoio ao seus protagonistas. Ao invés de focar apenas naqueles que dão nome à série. Desta vez, essa função coube a Jason Todd, o segundo Robin.

DC, querida, não se preocupe, nós estamos aqui. Estamos vendo a série e comprando a ideia de vocês. Não precisa ficar entupindo os episódios de personagens conhecidos para chamar a nossa atenção. Além disso, essas introduções carecem muito de organicidade. Pegamos o Rapina e a Columba como exemplo. Eles foram inseridos na série porque o Dick queria um local para deixar a Rachel segura “por uns dias”. Oi? Com tantos lugares, tinha que ser justamente com eles?

Isso é o que me deixa mais frustrado. Se os criadores tomaram a decisão narrativa de incluir diversos personagens da DC na série, seja para apresentá-los para um projeto solo mais adiante, ou por qualquer outro motivo. Que pelo menos eles tivessem a decência de criar histórias coesas para eles. Espero que realmente essa entrada do Jason seja benéfica. Coisa que eu não acredito muito.

A equipe

Justamente quando a série foca naquilo que ela, de fato, deveria focar é que ela mais funciona. Ver a equipe atuando junta foi extremamente divertido e prazeroso. Dick, naturalmente, assumiu a liderança da equipe e os demais integrantes abraçaram (principalmente você, , Kory?) a ideia, e tudo parece muito promissor. Ver eles usando as suas habilidades juntos, Ravenna controlando um pouco o seu poder e o Dick quebrar todo mundo sem ter nenhum poder foi fantástico!

Confesso que a decisão narrativa de colocar o Mutano para se transformar em apenas um animal e de ter que se transformar sem roupa me confundiu um pouco. Geralmente, em materiais adaptados, os roteiristas tomam uma licença narrativa para facilitar as coisas e não dificultar como é o caso das roupas do Mutano. De todo modo, a série, sempre que se trata da equipe, está indo muito bem!

O que esperar do próximo episódio?

Com a entrada do Jason, não deve demorar ocorrer também uma aparição do Batman. Além disso, novos vilões terão que ser introduzidos, já que a Família Nuclear está fora de campo.

Easter Eggs e outras nerdices:

  • Aquelas bombas implantadas nas cabeças da Família Nuclear me lembraram MUITO Esquadrão Suicida.
  • A entrada do Jason abre portas para várias possibilidades. Já foi dito que todos os personagens que aparecerem em Titans poderiam ganhar a sua própria série.
  • Jason Todd foi o segundo Robin, que morreu pelas mãos do Coringa (numa das mais famosas passagens da DC). Ele ressuscitou através dos Poços de Lázaro e atualmente é conhecido como Capuz Vermelho.
  • Apesar da sua morte ter sido uma escolha do público, Jason tem uma considerável legião de fãs.
Tags Titans

No comments

Add yours