Crítica: The Flash traz muitos easter-eggs em 5×12 “Memorabilia”

The Flash entregou essa semana um de seus episódios mais atrativos da temporada. Isso porque o episódio é recheado de easter-eggs, tanto dos quadrinhos quanto da própria série. Combinado a isso tivemos uma trama envolvente com algumas possíveis revelações da trama desta quinta temporada.

Nora continua uma personagem fraca, mas ao menos sua trama tem se tornado mais interessante a cada episódio. Os segredos que tem escondido e sua relação com Eobard Thawne aos poucos tem vindo à tona e neste episódio conseguiram amarrar muito bem a tensão a este acontecimento. Toda a trama central corria em torno de se Barry e cia iria ou não pegar alguma pista do que ela tem escondido.

Sherloque é um personagem que surgiu em The Flash como quem não quer nada. Mas nos últimos episódios se tornou a chave para a solução dos mistérios da trama da temporada. O personagem pode parecer obtuso, mas também esconde seus segredos. Sherloque ainda pode se provar um membro de valor para o time Flash neste ano.

O futuro de The Flash

O Museu do Flash nas memórias de Nora foram o que melhor tivemos no episódio. Cada detalhe em cena poderia conter um easter-egg especial da produção ou alguma pista do futuro da série. Tanto que as cenas entregaram um possível vilão para as futuras temporadas: o Morte Vermelha. Agora com a introdução da Batwoman no Arrowverso, é mais do que possível a participação do vilão em The Flash. Além disso acabamos não só descobrindo que Grace futuramente se tornará o segundo Cicada, como já pudemos vê-la como a vilã.

Cisco infelizmente teve uma participação descartável no episódio. Ao menos que Kamille venha a ter maior importância em breve, nada dali parece aproveitável. Já Íris, como disse previamente, enfim se tornou uma personagem tragável. Ela aos poucos tem amadurecido agora no papel de mãe. Neste episódio ela ainda mostrou que não só será uma importante repórter no futuro, mas será a fundadora do maior jornal de Central City. E por falar em jornal, com as mudanças sendo feitas na linha do tempo, a Crise que antes aconteceria em 2024, ou 2021, mudou para 2019. Por mais que seja uma desculpa que a produção encontrou para antecipar o grande crossover para a próxima temporada, se conecta bem com a “mitologia” do herói e de The Flash.

A cura para meta-humanos parece ter um grande papel nos próximos episódios. Assim como os segredos que Nora esconde também pode ainda trazer grandes surpresas. Como ainda temos muito chão até a season finale, a quinta temporada de The Flash ainda precisa do ponto de virada para elevar a expectativa. Torço para que seja surpreendente e empolgante, para assim concluirmos mais uma boa temporada de The Flash.

Imagem: The CW/Divulgação

CURIOSIDADES:

– Nos quadrinhos, o Museu do Flash surgiu como uma piada que os roteiristas usaram nos quadrinhos em 1959. Mas se tornou um local recorrente no universo DC nas décadas seguintes.

– Um dos vilões citados nas gravações do Museu do Flash foi o Morte Vermelha (Red Death). Nos quadrinhos foi uma versão de Bruce Wayne do Multiverso Sombrio que se torna um velocista assassino em massa após se fundir com Barry Allen de seu universo.

– No Museu, vemos uma cópia do quadrinho original de The Flash edição 172, com Cicada na capa. Também aparecem as edições 1 e 39 da fase Renascimento, com Grodd na capa da última.

– Este episódio confirmou que o Myles citado no começo da temporada é Dexter Myles, que nos quadrinhos é o curador do Museu do Flash.

– Este episódio também revelou que foi Íris quem fundou o jornal Central City Citizen que inclui o artigo sobre o desaparecimento do Flash em 2024.

– Sherloque cita Jervis Tetch, nome do vilão Chapeleiro Louco, um dos inimigos de Batman. Um cientista com varias habilidades de controle de mente. Foi claramente inspirado no personagem de Alice no País das Maravilhas.

– Sherloque também cita o Summerholt Institute, criado na série Smallville (2001).

– Quando o grupo está patinando no gelo, Caitlin está usando um suéter baseado no suéter de Nevasca nos quadrinhos da DC Comics Bombshells (linha alternativa onde as heroínas são as protagonistas).

– O telefone que Íris e Barry atendem nas visões tem o toque da música de abertura de Flash.

Tags The Flash

Share this post

Álefe Cintra

Jornalista e apaixonado por séries. Tem a mesma profissão de Clark Kent, usa óculos parecido, mas infelizmente não é super-herói. Grande fã de séries de super-heróis e fantasia. No Mix de Séries escreve as reviews de Arrow e The Flash.