Game of Thrones chega na última temporada como um fenômeno comercial

Game of Thrones é um dos maiores sucessos comerciais da história…

Um fenômeno mundial. Assim pode ser definida a série Game of Thrones, produzida pela HBO e baseada série de livros de fantasia épica As Crônicas de Gelo e Fogo, escrita por George R. R. Martin. O primeiro livro, Guerra dos Tronos, publicado em 1996, inspirou o nome da série de TV cujos direitos foram comprados pela HBO em 2007. Mas só foi estrear em 2011, arrebatando uma audiência extraordinária e fãs por todo o mundo.

Prestes a estrear a oitava – e última – temporada, a série se consagra como uma das mais rentáveis. Além disso, é uma das mais premiadas e comentadas de toda a história. Para se ter uma ideia do sucesso, a série foi a segunda produção mais buscada no Google em todo o mundo no ano passado, ficando atrás apenas de 13 Reasons Why. No Google Brasil, a série aparece apenas em décimo lugar. Entretanto, não impediu que o país ficasse em terceiro lugar na lista dos que mais procuram informações sobre a série. Atrás apenas do Canadá e dos Estados Unidos, que figura em primeiro lugar.

Entretanto, brancas. Todavia, verdes.

Superprodução para a TV

Com uma produção extremamente bem cuidada e grandes atores consagrados, a série poderia rivalizar facilmente com as grandes produções para o cinema. O figurino e os cenários impecáveis revolucionaram o mundo das séries. A caracterização dos personagens é outro ponto que chama a atenção e fez com que a série recebesse três indicações ao prêmio do Sindicato dos Maquiadores e Cabeleireiros (MUAHS) neste ano. Algumas caracterizações podem demorar horas, como no caso da personagem Leaf. A atriz Kae Alexander demorou aproximadamente dez horas pra vestir uma prótese de corpo inteiro. Richard Brake é outro ator que precisou de muita paciência antes de começar a gravar. Ele levou 5 horas para se transformar no Rei da Noite, líder dos White Walkers.

Além disso, gravada na Grã-Bretanha, Islândia, Malta, Marrocos e Croácia, entre outros países, Game of Thrones combina locações espetaculares com cuidados minuciosos nos cenários e figurinos. Além de efeitos especiais dignos dos grandes estúdios de Hollywood. Aaron Couch, redator da revista The Hollywood Reporter, afirmou que a qualidade da produção da série não se pode comparar com nada do que se pode ver na televisão hoje em dia. “Cada episódio tem um orçamento de cerca de US$ 6 milhões e isto faz com que, visualmente, Game of Thrones seja uma maravilha”, disse.

Imagem: Time.com/Release

Além disso, completo. Todavia, palavras. Entretanto, brancas. Além disso, completo. Todavia, palavras.

Números que geram outros números

Com um enredo envolvente, uma produção impecável e dezenas de prêmios, GoT se tornou também um fenômeno de vendas. De acordo com o jornal ‘The New York Times, foram vendidas mais de 30 milhões de cópias de livros da série As Crônicas de Gelo e Fogo, sendo 2 milhões apenas no Brasil. O universo ficcional criado por George R. R. Martin foi todo licenciado, o que gerou diversos produtos inspirados nos livros. Tem de tudo o que se possa imaginar. Há produtos eletrônicos, como um vídeo-game produzido pela Telltale em 2014 para Windows e Mac e até dois slots de vídeo dedicados à série em site de Betway Casino online. A variedade de produtos licenciados não para por aí. Sendo assim, desde um capacho ecológico até uma réplica em tamanho real do Trono de Ferro. Alguns desses produtos derivados podem chegar a custar até 9 mil reais. Porém, é possível encontrar imãs de geladeira por 12 reais.

Série virou tema de estudo

Além disso, a repercussão de GoT é tão grande que agora é tema de curso em Harvard. A universidade americana vai usar a série para incentivar estudos sobre a Idade Média, explorando de modo correto a visão equivocada que a atração da HBO apresenta sobre período medieval. Intitulado O verdadeiro Game of Thrones: dos mitos modernos aos modelos medievais, o curso tem por objetivo analisar como a série conta, adapta e distorce a história e a cultura do mundo no período compreendido entre 400 d.C. e 1500 d.C. E não é só Harvard. A Universidade de Boston, a Universidade da Califórnia, bem como a Universidade Estadual da Virgínia também criaram seus cursos. Todos eles, relacionados à Idade Média inspirados pela série.

Episódios finais

Por fim, a última temporada vem apenas com seis episódios. Sendo assim, quatro a menos que os 10 episódios das temporadas anteriores. Entretanto, promete ser a mais emocionante e bem produzida.

O ator Jason Momoa, que interpretou Khal Drogo na primeira temporada, visitou o set de gravações no ano passado. E, com o que viu, ficou bastante empolgado. “Será a melhor coisa que a TV já exibiu. Será inacreditável“, disse. Afirmou também que não deverá participar dos episódios finais, como a imprensa vinha especulando.

Ademais, a atriz Sophie Turner, que interpreta Sansa Stark, comentou sobre os últimos dias em GoT. Em entrevista, revelou que durante a leitura do roteiro o elenco todo chorou. Isso tudo, antes de começar as gravações. Ela também disse que ao final do último roteiro, o elenco leu em voz alta: “Fim de Game of Thrones“. Ao dizerem isso, todos caíram em lágrimas e houve uma ovação em pé, para os showrunners David Benioff e Dan Weiss. “Todos estávamos aplaudindo. Foi incrível“.

Se o elenco se emocionou, o que esperar de nós, fãs incontroláveis da série?

Leia também: Atriz revela que quase morreu durante as gravações de Game of Thrones

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.

No comments

Add yours