Game of Thrones: por que a série continua sendo ignorada pelo Globo de Ouro?

Imagem: HBO/Divulgação

As indicações do Globo de Ouro 2018 foram divulgadas no início de dezembro, e a corrida para a nomeação de Melhor Série Dramática apresentou a novata, porém já esperada, The Handmaids Tale, e quatro outras séries já conhecidas do público: a campeã de 2017, The Crown, Game of Thrones, Stranger Things e This Is Us.

Quatro das cinco séries indicadas também receberam ao menos uma indicação em categorias de atuação, com exceção da série da HBO, Game of Thrones.

Enquanto a série baseada na obra de George R. R. Martin tem sido um verdadeiro sucesso no Emmy nos últimos anos, tornando-se, inclusive, a série do horário nobre mais premiada de todos os tempos – com 38 vitórias – o mesmo reconhecimento não é visto no Globo de Ouro.

Desde a estreia da série, em 2011, GoT recebeu apenas sete indicações ao troféu Globo de Ouro, conquistando uma vitória na categoria Melhor Ator Coadjuvante em Série Dramática, pela atuação o ator Peter Dinklage, que interpreta Tyrion Lannister, durante a primeira temporada. Desde então, o ator não foi mais indicado e a série só recebeu mais uma indicação, em 2016, que levou Lena Headey, a Cersei Lannister, à concorrer ao prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante em Série Dramática.

Este ano, a HBO inscreveu estrategicamente Emilia Clarke e Kit Harington como protagonistas da série – todo o elenco costumava ser inscrito nas competições como coadjuvantes – para aumentar suas chances, mas o resultado foi decepcionante e nenhuma indicação em categorias de atuação.

A audiência abraçou Game of Thrones, assim como o Emmy. Então qual o problema do Globo de Ouro não reconhece esse sucesso?

A resposta mais simples é de que a série simplesmente não é a praia da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA – The Hollywood Foreign Press Association), responsáveis pelas indicações do prêmio.

O misterioso grupo, que é formado por cerca de 90 jornalistas, possui um gosto muito específico e peculiar e que possui o próprio ritmo. Pode-se dizer que o juri “gosta do que gosta” e não se desculpa por isso. Eles valorizam programas de TV assim como eles gostam de suas estrelas: prestigiadas e glamourosas. Eles dão preferências para produções glamourosas, bonitas e elitizadas – ou as que eles consideram elitizadas – e com sucesso. Às vezes, esse fator também se faz presente no Emmy – vide Man Men e The West Wing – assim como em outras ocasiões, o Globo premiou produções que realmente mereciam e haviam sido negligenciadas pelo Emmy, como já foi o caso de Mr. Robot e da já encerrada Nip/Tuck.

Sim, Game of Thrones faz sucesso e é, de sua maneira, glamourosa! Mas ainda assim é uma série de fantasia, de época e com dragões. Elementos que, como você pode imaginar, podem dificultar a aceitação por parte da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood. E esse preconceito contra produções de fantasia e/ou ficções científicas não é uma exclusividade apenas do Globo de Ouro. Vale lembrar que GoT foi a primeira série de seu gênero a ganhar o Emmy de Melhor Série Dramática, mesmo tendo sido antecedida por grandes sucessos que mudaram a TV americana, como Battlestar Galatica e Star Trek.

Imagem: HBO/Divulgação

Geralmente designadas para categorias técnicas, como Melhor Efeitos Visuais, séries de ficção e fantasia são consideradas “damas de honra”, mas quase nunca a própria “noiva”, nessas premiações. Especificamente no Globo de Ouro, as indicações de Game of Thrones – e a própria vitória de Peter Dinklage –  foram mais por obrigação do que por paixão. Eles sabem do sucesso de audiência da série e para não parecer totalmente indiferente a isso, fazem uma indicação aqui e ali, quase que como uma esmola, como se dissessem “Pronto. Nós indicaremos, mas é só isso!”. E eles já sentem que fizeram muito pelo show ao dar a vitória de Dinklage.

Só que GoT não é a primeira e nem será a última série ignorada pelo juri do Globo de Ouro. A HFPA nunca foi fã de Breaking Bad e sua atmosfera sombria. Bryan Cranston (Walter White) não recebeu uma indicação até depois de ganhar três vezes consecutiva o Emmy, e a série só recebeu uma indicação no auge de sua penúltima temporada. Tanto a série como Cranston só ganharam o troféu no último ano, mesmo ano em que Aaron Paul (Jesse Pinkman) ganhou sua primeira indicação. Isso só aconteceu porque Breaking Bad se tornou um fenômeno no mundo inteiro, e era impossível continuar ignorando isso. Dessa forma, a HFPA foi obrigada a premiar a série.

Quem também já enfrentou o duro crivo do Globo de Ouro foi a comédia Veep. A série, estrelada por Julia Louis-Dreyfus, que hoje já ganhou três Emmys, só conquistou a primeira indicação na categoria Melhor Série de Comédia do Globo em 2015, depois de ganhar seu primeiro Emmy. E o Globo de Ouro é o único grande prêmio que a atriz protagonista da série ainda não possui em seu portfólio. Esse ano, tanto ela como a série, foram deixados de lado.

Assim como Veep, outra desvantagem que Game of Thrones tem é a de ser uma série “antiga”. A HFPA é conhecida por apreciar séries estreantes, então mesmo que uma produção possua um imenso hype, mas não é uma “série nova”, já estará em desvantagem. Isso não significa que séries de longa data não tem chances de ganhar a estatueta, mas só conseguirão se o juri realmente gostar do material. Sex and the City ganhou o troféu durante sua 4ª temporada, All In The Family venceu por sua sétima temporada. Assim como Mannix, Arquivo X e Breaking Bad só conquistaram seus títulos durante suas respectivas quintas temporadas. Nenhuma série dramática conquistou o prêmio após uma sétima temporada. GoT, obviamente, foi indicada esse ano justamente por seu sétimo ano. O que torna essa corrida quase impossível.

Mas nem tudo está perdido. Game of Thrones ainda terá mais uma temporada e seguindo os passos de Breaking Bad ainda pode conquistar um troféu de Melhor Série Dramática nos 45 do segundo tempo. Esse seria o maior atraso de todos, mas nunca se sabe. A oitava e última temporada da série só estreia em 2019, tempo suficiente para o Globo apreciar várias outras produções e decidir reaver esse erro.

A 75ª cerimônia de entrega do Globo de Ouro acontece no dia 7 de janeiro e terá transmissão exclusiva pela TNT aqui no Brasil.

 

Italo Marciel

Italo Marciel

Cearense, 28 anos. Jornalista especialista em Assessoria de Comunicação. Viciado em séries desde que se entende por gente e apaixonado por cinema. O cara que fica feliz em indicar uma boa série ou um bom filme para os amigos.

No comments

Add yours