Netflix estreia nova série mais quente que 365 DNI

Nova série da Netflix estreou com cenas intensas

Nova série Netflix 365 DNI

A Netflix tem investido, cada vez mais, em tramas com cenas de sexo quentes e intensas – vide o comentado filme 365 DNI. No entanto, as séries também têm investido nestas cenas que dão o que falar. Uma delas, aliás, é a quarta temporada de Elite que estreou recentemente na plataforma.

Continua após publicidade

Mas, agora, a sexualidade feminina e o desejo ocupam o centro da nova série da Netflix, Sex/Life. E, pelo o que assistimos, o drama tem cenas mais quentes e explícitas do que 365 DNI.

Continua após a publicidade

A história: mais quente que 365 DNI?

Na série Sex/Life, Sarah Shahi (Person of Interest, Chicago Fire) estrela como Billie, uma esposa e mãe que, depois de se cansar de sua vida suburbana monótona, começa a fazer um diário. Nessas páginas, ela fica aberta a fantasiar sobre suas aventuras sexuais passadas com o ex-namorado Brad (Adam Demos).

Continua após publicidade

Sua vida inteira, porém, foi destruída quando seu marido Cooper (Mike Vogel) lê aquelas histórias quentes que, então, dão início a um complicado triângulo amoroso. Claro, depois que seu ex acaba ressurgindo na sua vida.

As cenas entre a protagonista e o ex-namorado, obviamente, são bem quentes. Mas o próprio marido de Billie também protagoniza momentos intensos, como quando ele vai ao chuveiro da academia para espiar o tamanho do “documento” do ex de sua mulher. E a cena aparece sem cortes para o espectador. Ou ainda, quando Cooper e Billie vão a um local onde troca de casais acontece.

Continua após publicidade

Mas tudo conectado à trama, e nada gratuito.

Protagonista estava nervosa

Sarah Shahi, em entrevista ao TVLine, revelou que as cenas exigiram dela muito preparo físico e emocional. Mas ela também admite que estava nervosa para assumir um papel tão exigente.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

“É um papel com muita carga emocional”, disse ela à TVLine. “Eu estava uma bola de nervos, honestamente. Entre isso e a quantidade de cenas de nudez, bem como cenas de sexo. Mas as cenas de colapso emocional cru. Eu era uma garota temente a Deus quando estávamos fazendo isso. Eu estava orando muito.”.

Mas o que ajudou Shahi foi o fato dela estar cercado por mulheres nos bastidores, como a criadora Stacy Rukeyser (UnREAL), que empregou uma equipe apenas de diretoras para trazer essas cenas explícitas à vida sob o olhar feminino.

Série 365 DNI Netflix
Imagem: Divulgação

Além disso, quatro dos seis escritores da série também eram mulheres. Shahi também trabalhou com o coordenador de cenas íntimas, Casey Hudecki, que trabalhou em séries como The Handmaid’s Tale, American Gods, Ginny & Georgia e Tiny Pretty Things.

Presença feminina

Ter mulheres atrás das câmeras e algo centrado em torno do ponto de vista de uma mulher… Não acho que percebi o quão bom isso era até depois de fazer. A segurança que vem com ser capaz de falar com mulheres sobre essas cenas. Não sei se eu me sentiria tão confortável me abrindo dessa forma se fosse um homem.”, explica Shahi.

“Muitas vezes, quando temos séries ou filmes muito sensuais, ainda é contado através das lentes masculinas, mas agora temos algo que é o ponto de vista feminino.”.

Em Sex/Life, a câmera costuma ficar mais tempo nos corpos dos atores masculinos, ao invés dos dela. Algo que também acontece muito no filme 365 DNI. Filme que, inclusive, também é dirigido por uma mulher.

E Shahi achou isso algo revigorante. “Já era tempo.”, diz ela. “Além disso, era importante retratar que as mulheres podem gozar em outras posições.”.

Imagem: Divulgação.

Elenco também se sentiu à vontade

Margaret Odette, que interpreta a melhor amiga de Billie, Sasha, revela que também sentiu uma forte sensação de segurança e conforto ao fazer a série.

“Depois que eu peguei o papel, Stacy [Rukeyser] disse, ‘Eu sou uma garota branca de Connecticut. Não vou começar a fingir que sei como é andar por este planeta como uma pessoa negra. Mas quero ser um parceiro para garantir que essa personagem, Sasha, se manifeste autenticamente, plena e complexa. Em todas as multidões que a maioria das mulheres possuir’.”, ela compartilha.

“Sou muito grato por ela ter estendido o convite para ser uma colaboradora igualitária dessa forma. Porque deu o tom para toda a minha experiência de trabalho no projeto.”

Odette observa que a colaboração no set foi “ecoada por todos os departamentos”, incluindo figurino que trabalhou com ela para garantir que Sasha usasse apenas roupas de estilistas negros.

Todo mundo estava dando de si mesmo… na forma como trabalhavam com os atores”, acrescenta ela. “Realmente parecia que estávamos todos juntos nisso. Éramos uma equipe.”.

Leia também: Continuação de 365 DNI apresenta “novo gostosão”

Todos os oito episódios de Sex/Life estão disponíveis na Netflix.

E então, ficou curioso com a série? Deixe nos comentários e, igualmente, continue acompanhando as novidades do Mix de Séries.