O câncer e doença de Val Kilmer, o Iceman de Top Gun

De volta aos holofotes com Top Gun Maverick, o ator Val Kilmer vem enfrentando dura batalha na vida real.

Top Gun Val Kilmer

O primeiro trabalho na carreira do ator Val Kilmer não foi lá essas coisas. Ele estreou um anúncio de TV para hambúrgueres, mas durante a gravação ele saiu do set porque não conseguiu entender a “motivação” de seu personagem. Na época ele tinha apenas 12 anos.

Continua após publicidade

Então, 15 anos depois, um pequeno filme chamado Top Gun o fez dele um superstar global. Mas ele nunca quis fazer aquele filme, e o ator chegou a entrar em conflito com Tom Cruise durante as gravações.

Kilmer, no entanto, continuou coletando papéis invejáveis. Desde O Santo, onde contracenou com Marlon Brando, até Batman Eternamente, onde viveu o homem morcego. Mas, na mesma proporção, Val continuou coletando uma fama de “difícil”, com o diretor de Batman, Joel Schumacher, o chamando de “o ser humano mais perturbado com quem já trabalhei”.

Continua após publicidade

Essa fama rendeu a ele um apelido de “Psycho Kilmer”. E, agora, décadas depois, Kilmer volta aos holofotes por causa da sequência de Top Gun, o novo filme Top Gun: Maverick. Só que o popular Iceman do filme dos anos 1980 está bem diferente. Isso porque ele enfrentou um câncer que mudou sua vida para sempre – e precisou dar uma grande pausa na sua carreira.

A trajetória de Val Kilmer não foi fácil

Embora Hollywood tenha sempre taxado Kilmer de difícil, o ator pôde contar um outro lado da história em seu documentário Val, que no Brasil está disponível no Amazon Prime Video. E lá vimos os difíceis momentos que ele passou na infância, incluindo a morte de seu irmão que mexeu muito com o ator.

Leia também: Batman deve aparecer na nova série da CW, Gotham Knights

Mas Val Kilmer nunca teve a fama na sua cabeça. Entre estrelar o filme Real Genius, em 1985 e conseguir o papel de Iceman em Top Gun no mesmo ano, o ator achava que ele poderia se esforçar e fazer mais. Na verdade, ele nunca quis estrelar Top Gun. “Eu não gostava da história. Realmente não me importava com o filme, e eu só o fiz porque tinha um contrato com o estúdio na época“, disse Val durante seu documentário.

Continua após publicidade

Val Kilmer e Tom Cruse tinham conflitos nos sets de Top Gun

Felizmente, o icônico diretor do filme, Tony Scott, convenceu Kilmer a entrar no projeto, prometendo-lhe o papel do piloto de caça esperto, mas cauteloso, e que o papel do Maverick de Tom Cruise seria expandido.

O entusiasmo de Scott acabou conquistando o ator teimoso no set de Top Gun, mas Kilmer e Cruise ainda entraram em conflito. A cada dia, quando as filmagens terminavam, as duas estrelas formavam campos separados, refletindo seu conflito no filme.

Val Kilmer
Imagem: Divulgação.

“Nós éramos os festeiros”, escreveu Kilmer em seu livro de memórias, sobre suas suas noites de bebedeira durante a produção. Enquanto isso, de acordo com Kilmer, Cruise ficava até tarde ensaiando falas, acrobacias, planejando sua aquisição mundial de estrela de ação.

Continua após publicidade

Top Gun arrecadou mais de US$ 350 milhões e se tornou um marco cultural global. E nada disso estava nos planos de Kilmer. Como ele contou ao The New York Times em 2020, “a fama não era minha prioridade, e eu a tinha”.

Por que Hollywood odeia Val Kilmer?

Em 1993, Val Kilmer interpretou Doc Holiday no filme Tombstone. Seu impressionante papel coadjuvante como o lendário dentista loquaz, que virou pistoleiro morrendo de tuberculose, roubou o filme.

Leia também: Instinto Assassino, a verdade por trás do final do filme na Netflix

As falas de Kilmer são tão memoráveis que ele intitulou seu livro de memórias de I’m Your Huckleberry, depois de um festivo feriado. Ele seguiu esse sucesso interpretando os capangas de Robert Deniro em Fogo Contra Fogo, a obra-prima de Michael Mann e sem dúvidas o melhor thriller policial de todos os tempos.

Mas até os atores de personagens são tentados pelo capuz. Kilmer afirma que passou o dia em uma caverna de morcegos quando recebeu a ligação para substituir Michael Keaton em Batman Eternamente. O filme divide opiniões, mas ainda é o favorito de muitos fãs. Tem Jim Carrey em uma interpretação icônica como o Charada. E foi um sucesso comercial. Mas Kilmer foi um pesadelo nos sets.

Top Gun Val Kilmer Batman
Imagem: Divulgação.

O diretor Joel Schumacher o chamou de “infantil e impossível“, de acordo com a Entertainment Weekly. E Kilmer fazia exigências impossíveis nos sets.

Além disso, ele foi rude com várias coestrelas, como em O Santo, onde ele teria dito à equipe para evitar contato visual. E o diretor de A Ilha do Dr. Moreau, John Frankenheimer, declarou ao The Telegraph: “Nunca escalarei o Monte Everest e nunca mais trabalharei com Val Kilmer novamente. Agora tire esse idiota do meu set!”.

Kilmer escreveu mais tarde em seu livro de memórias (via The New York Times) que seu comportamento no set era “uma tentativa inabalável de capacitar diretores, atores e outros colaboradores a honrar a verdade e a essência de cada projeto”, que acabou “alienando o chefe de todos os grandes estúdios”.

O câncer de Val

A vida de Val Kilmer tinha sido ao mesmo tempo encantada e amaldiçoada, muitas vezes por sua própria criação. E isso se encaixa em sua visão da realidade. “Deus quer que andemos, mas o diabo manda uma limusine”, ele meditou ao The New York Times.

Mas, então, em 2014, Kilmer recebeu algo totalmente diferente, que o deixaria bem distante de sua época em Top Gun. Ele estava em turnê com uma peça de teatro, quando começou a ter dificuldade em engolir. Pouco tempo depois, ele estava hospedado na casa de Cher quando de repente acordou vomitando sangue “que cobria a cama como uma cena de O Poderoso Chefão“, ele escreveu em I‘m Your Huckleberry.

Em outro incidente semelhante relatado nas memórias, Kilmer descreve como “o sangue escorria pelo meu corpo, minha visão turva, minha energia drenada”.

Top Gun Val Kilmer
Imagem: Divulgação.

A história ainda ficou mais confusa porque Kilmer rejeitou seu diagnóstico como parte de sua devoção à Ciência Cristã. Os médicos tradicionais lhe diziam que era câncer de garganta. Seu conselheiro espiritual alegou que ele simplesmente precisava orar para que o medo desaparecesse.

Seu câncer, no entanto, parecia imune a essas intuições da mente sobre a matéria. A saúde de Kilmer estava desaparecendo rapidamente e ele foi pego em uma batalha entre sua crença em Deus e os apelos desesperados de seu filho Jack e sua filha Mercedes para buscar remédios mais terrenos. Eles imploraram ao pai teimoso para salvar sua própria vida.

Como Iceman de Top Gun está hoje?

Val Kilmer acabou cedendo à pressão de seus filhos – nenhum deles cientistas cristãos. “Eu simplesmente não queria experimentar o medo deles, que era profundo“, disse Kilmer ao The New York Times, acrescentando: “Eu teria que ir embora e simplesmente não queria ficar sem eles”.

Nesse mesmo ano, 2014, Kilmer fez uma cirurgia, e em seguida quimioterapia e radiação. Ele diz que os médicos “destruíram minha garganta inteira“, que ele ainda descreve como “seca como um osso”. A cirurgia “o deixou com um tubo de traqueostomia”, com falta de ar e sobrevivendo com um tubo de alimentação.

Sua voz, antes suave e marcante, agora é estrondosa e grossa. Seu dom se fora, junto com a alegria de viver e atuar. Mas a luta de hora em hora o faz ainda sobreviver, fazendo aparições em convenções e vivendo de sua antiga carreira que um dia lhe fez astro.

Imagem: Divulgação.

Top Gun Maverick

Tom Cruise se abriu sobre sua reunião com Val Kilmer em Top Gun: Maverick, anos depois que o conflito de seus respectivos personagens se transformou em amizade no filme original.

O novo filme de ação mostra Cruise como o principal piloto da Marinha, que deve enfrentar os fantasmas de seu passado. É uma sequência direta do filme original de 1986, para o qual Kilmer foi escalado como Almirante Tom “Iceman” Kazansky.

Leia também: True Lies, filme de James Cameron vai virar série de TV

Durante uma entrevista ao Metro na quinta-feira, 19 de maio, quando Cruise foi questionado sobre sua reunião com Kilmer, ele disse: “Foi adorável. Toda a experiência, você sabe, 36 anos para fazer este filme“.

No início deste mês, Cruise também falou sobre Kilmer com o Entertainment Tonight, compartilhando o quão “muito especial” foi trabalhar com ele novamente na sequência.

Cruise revelou que ele “se uniu muito” para colocar Val no primeiro filme de ação. “No primeiro, eu realmente lutei muito para que ele fizesse o filme”, disse Cruise sobre Kilmer. Ele também discutiu uma cena poderosa no novo filme, comentando: “O tipo de talento que [Val] tem, e você vê essa cena [no novo filme], é muito especial, é muito especial”.

Top Gun: Maverick estreia no Brasil no dia 26 de maio de 2022.

Criador do Mix de Séries, atua hoje como redator e editor chefe do portal. Especialista em SEO e construção de textos para internet, também atua como webwriter com foco em textos para o Google. Autor na internet desde 2011, passou pelos portais TeleSéries e Box de Séries. Fã de carteirinha de Friends, ER e One Tree Hill, é aficionado pelo mundo dos seriados. Também é fã de procedurais, sabendo tudo sobre o universo das séries Chicago, Grey's Anatomy, e séries de sucesso como La Casa de Papel e Lucifer. Também é fã da DC Comics, e acompanha produções inspiradas em personagens da editora, como Titans e até o mais recente produto da editora, Sweet Tooth.