Pandemia: série da Netflix traz alerta em tempos de Coronavírus

Pandemia série Netflix

Pandemia tornou-se uma das séries mais assistidas na Netflix

Uma das mais recentes adições ao catálogo da Netflix, Pandemia tornou-se sucesso no catálogo da plataforma de streaming. Não para menos, em um momento bastante oportuno. Vivemos hoje uma pandemia global do novo Coronavírus, com as ramificações chegando ao Brasil.

Continua após as recomendações

Com isso, a série documental da Netflix visa explorar as consequências de uma pandemia, e como ela pode impactar a economia e o convívio social – incluindo, a causa de muitas mortes. (via The Guardian).

Pandemia na Netflix

A nova e aterrorizante série da Netflix realmente caiu como uma luva diante do aterrorizante vírus que chegou à vida real. Enquanto o coronavírus domina as manchetes, a gigante do streaming trouxe uma série em seis partes sobre o quão preparado (ou não) o mundo está para lidar com uma nova pandemia.

Continua após a publicidade

Logo no primeiro episódio somos apresentados ao conceito do surto, e como que aparenta ser uma simples gripe pode se transformar em algo mortal. No episódio é explicado que uma pandemia provavelmente surgirá de um animal, sempre. Além disso, ela sempre será um vírus novo e nunca visto. O documentário explica portanto que quando um novo vírus surge de um animal, nós não temos imunidade natural. E isso significa que a pandemia poderá ser bastante mortal.

O documentário, além disso, explica que desde sempre existem pesquisadores que, a todo momento, estão empenhados a desenvolver vacinas universais contra todos os vírus influenza.

Teoria que prevê desastres

Chega ser curioso saber que a série foi elaborada antes do surto de Coronavírus. Isso porque Pandemia: como prevenir um surto começa exatamente com uma teoria. Tal teoria diz que devemos encarar um novo vírus mortal que se move rapidamente. Vale lembrar que já se passaram 100 anos desde que um vírus mortal da gripe matou de 50 a 100 milhões de pessoas, e numa época em que a população global era de apenas dois bilhões.

Agora, existem quase oito bilhões de pessoas no mundo, como adverte o especialista Dr. Dennis Carroll, diretor da Unidade de Ameaças Emergentes da USAID, na Pandemia: “Quando falamos de outra pandemia de gripe, não é questão de se, mas quando”.

Poderia ser o “quando” que assombra esta série assustadora agora?

Até o momento, o número de mortes por coronavírus no mundo já ultrapassou 10 mil. Além disso, até a manhã desta sexta (20), mais de 245 mil pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus, em 166 países.

Além da perda de vidas, o vírus causou perturbações nos mercados financeiros, locais de trabalho, padrões de voo e produção de alimentos. E pasmem, todos esses são efeitos previstos e examinados com grande talento, dentro da trama de Pandemia.

Uma das produtoras executivas, Sheri Fink, é jornalista, médica e autora dos brilhantes Five Days at Memorial, sobre o despreparo diante do furacão Katrina. Tweetando sobre o momento estranho que o mundo está passando, ela recentemente disse: “Esperávamos ter informado antes, e não depois, sobre outro patógeno perigoso surgir“.

Como resultado do coronavírus, os espectadores chegarão à série com um nível extra de consciência dos riscos de um vírus misterioso e veloz. Mas não deixe que o fator medo te desencoraje a assistir a série. Pandemia também é informativa, inspiradora, e visualmente deslumbrante. Vale ressaltar, também, que ela tem uma excelente narrativa.

A trama

Os heróis desta série são cientistas, médicos e especialistas em desastres. Seguimos a Dra. Syra Madad enquanto ela tenta preparar o sistema hospitalar da cidade de Nova York para uma pandemia mortal, apesar dos cortes no orçamento. Conhecemos também Jake Glanville e Sarah Ives, dois cientistas que estão tentando criar uma vacina global contra a gripe para que eles possam disponibilizar gratuitamente para pessoas em países em desenvolvimento.

Rapidamente vamos a Jaipur e visitamos as enfermarias de um hospital superlotado com o Dr. Dinesh Vijay e seguimos para o mercado de aves do Vietnã com Dennis Carroll. E se existe um vilão aqui, não é apenas o vírus em si, mas a desinformação que geralmente se espalha em conjunto com uma pandemia.

A série, através de especialistas, alertam o quão o mundo está ‘despreparado’ para futuras pandemias. Futuras essas para a série que, para nós, é o presente.

Usando uma técnica semelhante ao filme Contágio (também presente no catálogo da Netflix), a série percorre diversos lugares ao redor do mundo – dos campos na fronteira com os EUA, até um hospital municipal subfinanciado em Oklahoma, protestos de anti-vaxxers no Oregon e a luta no Congo para conter o vírus Ebola… Todos estes se tornam cenários para a trama de Pandemia.

É preciso ressaltar também que a série leva o espectador, por diversas vezes, às lágrimas. Não por medo do que pode estar acontecendo entre nós, mas pela bondade e dedicação daqueles que trabalham no campo.

Pandemia ressalta como que os profissionais de saúde morrem e são assassinados enquanto tratam o vírus Ebola na África. Médicos indianos em hospitais superlotados para os pobres enfrentam 1.000 pacientes por dia apresentando sintomas graves de gripe suína.

Há voluntários dando vacinas contra a gripe na fronteira, médicos sobrecarregados que raramente veem seus próprios filhos, cientistas ambiciosos que procuram vacinas enquanto trabalham fora das grandes indústrias farmacêuticas – tudo isso mostrando que pessoas que trabalham em sistemas fortes, com financiamento decente e a cooperação de governos e cidadãos, podem fazer avanços significativos.

E quando o pior acontece? Bem, segundo Carroll, “toda epidemia é uma oportunidade de aprender”.

 

Pandemia está disponível na Netflix. Não deixem de conferir…

 

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Criador, editor e redator do site Mix de Séries, é apaixonado por séries desde sempre. Fã incondicional de One Tree Hill, ER, Friends, e não perde um episódio da Franquia Chicago.

No comments

Add yours