Crítica: 3×04 de The Good Doctor entregou emoção e despedidas

Claire no 3x04 de The Good Doctor

Lutar pra não sofrer com The Good Doctor

Mais uma semana e temos que segurar o choro em The Good Doctor. Um episódio repleto de cargas emocionais que vinham se desenvolvendo até aqui. O desfecho dos acontecimentos da última semana, de uma forma inesperada. A evolução do relacionamento de Shaun. Um caso extremamente raro e com um dilema complexo. Tudo envolvendo a carga emocional do ser humano e nossa relação interpessoal.

Continua após a publicidade

Primeiro, vamos finalizar os comentários da última semana. Creio eu que a morte da mãe de Claire deixou todos impressionados. Não foi algo desenvolvido ou esperado, simplesmente aconteceu. Pra quem achou que este episódio traria as consequências, vimos que não. Pela relação fraca entre as personagens, Claire não se abalou inteiramente com a notícia.

Claro que tivemos um pouco de atuação no meio, mas trouxeram uma resolução interessante. Primeiro, que trabalharam a amizade dela e Reznick sobre a situação. Segundo, que utilizaram uma bela canção para conferir emoção à cena da despedida. Não foi algo impactante ao extremo, uma vez que pouco se viu das duas nestas últimas temporadas. Entretanto, foi singelo e valeu a intenção de fechar o arco.

Casos indefinidos e surpreendentes!

Trabalhando um pouco sobre os casos da semana, tivemos um bem avulso e um interessante. Não vou comentar muito sobre o cara que se intoxicava porque o próprio episódio já fez questão de mostrar que ele não tinha importância. Todavia, o casal e seu dilema dos sentimentos, este, sim, merece comentários. Tivemos uma abordagem interessante da adequação ao tratamento a uma piora do quadro.

Imagem: ABC/Divulgação

Imagine você viver uma vida sem se preocupar e, do nada, tudo voltar à tona sobre sua cabeça? Claro que a dor física ainda será um problema, principalmente nas patologias diversas do organismo. Mas em uma paciente estável, com um casamento sólido, a falta de dores emocionais não seria um problema tão grande. Seria? Na verdade, não sei afirmar. Acho que as dores são parte das nossas vidas e aprendizados para nós. Cabe ao ser humano trabalhar seus problemas em uma visão positiva. Mas deixamos a filosofia de lado e voltamos ao episódio…

Em The Good Doctor, tudo reflete em nosso protagonista!

Shaun também está com problemas em suas emoções e foi batalhando arduamente que ele procurou um meio termo. Foi bacana ver como ele entendeu a necessidade de se adaptar e trazer a pessoa ao seu mundo. Como se fosse um yin-yang dos relacionamentos. Mas ainda não estou botando muita fé neste relacionamento dele. Acho que isso é só algo passageiro para muitas coisas que ainda virão por aqui.

Falando em muitas coisas que virão, a próxima semana chega com a primeira cirurgia de Shaun. Obviamente, temos uma promo extremamente saudosista e intensa, que culmina em um episódio dentro da normalidade – assim eu espero… 

Aguardo todos aqui na próxima semana e nos falamos por aí. Um abraço e até lá!

Nota do Episódio8
Review do quarto episódio da terceira temporada de The Good Doctor, da ABC, intitulado: "Take My Hand".
8
Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

No comments

Add yours