Crítica: 6×09 de Chicago Med confirmou que a série está chata!

Crítica Chicago Med 6x09

Nenhum personagem salva!

Honestamente, essa sexta temporada de Chicago Med está bem difícil de acompanhar. E digo mais: se não fosse o fato de precisar resenhar, ou mesmo estar antenado para fazer notícias aqui para o Mix de Séries, eu já teria abandonado a atração.

Continua após as recomendações

Mas sigo assistindo, e na esperança que os roteiristas melhorem os episódios de alguma forma. Mas a impressão que tenho é que, a cada semana, a coisa só vai piorando.

Histórias sem graça

A série está com umas histórias bem chatas. Se no início da temporada, o Dr. Marcel estava se mostrando o único personagem interessante, agora, ele caiu na mesmice e também ficou sem graça. O motivo? O relacionamento com a Dra. Manning.

Continua após a publicidade

Tudo se resume a ela, e as histórias que estão aparecendo para ele são bem bobinhas. Nesse nono episódio da sexta temporada, por exemplo, Natalie acabou arrumando briga com Dean, o novo médico. Tudo porque ela não concordou com o diagnóstico dele. Assim, ela foi buscar uma segunda opinião com Crockett, roubou o paciente de Dean e o levou para cirurgia.

Crockett acabou ficando no fogo cruzado, mas cedeu o pedido da namorada. E isso levou Dean a alertar o Dr. Choi sobre o relacionamento de Marcel e Manning. No fim das contas, Choi pediu que eles reportassem a relação para o RH, e Natalie, obviamente, criou caso.

Isso mostra o quão os personagens são tóxicos. Seja no relacionamento amoroso, ou no ambiente profissional. Aliás, é sempre um querendo passar por cima do diagnóstico do outro, ou da opinião do outro. Não sabem trabalhar em equipe, não sabem respeitar a vontade do colega, e isso para o espectador fica muito cansativo de assistir.

Novo médico entrou na onda

O novo médico, Dr. Archer, acabou entrando nessa onda. Eu pensei que ele fosse chegar para apontar os erros do local e tentar arrumar a bagunça, mas acontece que ele é só mais um que não respeita ninguém. O tempo inteiro tenta passar por cima do Dr. Choi e conseguiu bater o incrível recorde de já fazer raiva no público em apenas dois episódios.

Honestamente, já quero ele longe. Ou que fique, mas que tenha um comportamento ético. Coisa que é bem difícil nesse hospital.

Imagem: Divulgação.

Paciente obsessiva…

O episódio também teve uma paciente obsessiva que, de início, não queria ser tratada no Chicago Med. Confesso que até fiz uma brincadeira assistindo. Pensei, “eu também não ia querer ser tratada nesse hospital, só tem médico antiético. Está certíssima!”.

O problema é que seu motivo era um tanto estranho: ela desenvolveu uma obsessão pelo médico que lhe atendia no outro hospital, principalmente após a morte de seu pai. Mas a obsessão dela cresceu a ponto de achar que o médico tinha interesses românticos nela.

Mas o caso ficou realmente complicado quando, após ser tratada pelo Dr. Charles, ela transferir todos esses sentimentos para seu novo médico. Puxa vida, mais essa agora! Eu espero de verdade que nada aconteça com o Dr. Charles, porque, mesmo chata, Chicago Med ainda prioriza esse personagem e, de verdade, talvez seja o único que eu realmente goste.

Escanteio

Outro detalhe que notei é que Chicago Med sempre joga de escanteio alguns personagens. E, no caso, é o que está acontecendo com Will.

Ele está de lado com esse estudo clínico e quase não está aparecendo. Aliás, quando aparece, é para cenas desinteressantes. Da mesma forma aconteceu com Maggie, que tinha adotado Augie e ensaiou ter uma ótima história nessa personagem. Resultado? O menino foi embora, e agora ela está querendo se reconectar com a filha que ela deu, quando tinha 16 anos…

É, Chicago Med. Está bem difícil de acompanhar…

Mas seguimos aqui fazendo esforço. E você, compartilha do mesmo sentimento que o meu? Ou será que eu sou o único? Deixe nos comentários e, igualmente, continue acompanhando as novidades do Mix de Séries.

 

Nota do Episódio6
Crítica do nono episódio da sexta temporada de Chicago Med, exibido nos EUA pelo canal NBC e intitulado "For The Want of a Nail".
6