O erro que torna Chicago Fire irreal desde o início da série

Chicago Fire é popular entre os fãs, mas apresenta erro desde o início.

Chicago Fire irreal
Continua após publicidade

Desde sua estreia em 2012, o drama de ação do produtor Dick Wolf, Chicago Fire, atraiu milhões de fãs obstinados todas as semanas com seu retrato, aparentemente, realista da vida dos bombeiros de Chicago. Na franquia de Wolf, One Chicago, a série Chicago Fire acabou ganhando dois derivados na NBC, que também seguem a mesma linha.

Continua após publicidade

Entre as bem-sucedidas estão Chicago PD, que estreou em 2014, e Chicago Med, que chegou dois anos depois. Juntas, elas apresentam audiências sólidas em seu horário nas quartas-feiras à noite, dia em que a NBC exibe as séries nos Estados Unidos. Então, jogando com um trocadilho, sem dúvidas Chicago Fire continua como uma das atrações “mais quentes da TV”.

Ela apresenta uma imagem autêntica e fundamentada das vidas que correm alto risco em serviço e desafios pessoais fora do quartel. Mas a verdade é que Chicago Fire nem sempre manteve todos os aspectos da série totalmente “fiéis”. A este respeito, um detalhe sutil sobre uma peça vital do equipamento do esquadrão do corpo de bombeiros parece totalmente irreal. Pelo menos na opinião de alguns bombeiros veteranos do mundo real.

Continua após publicidade
Continua após publicidade
Chicago Fire irreal
Imagem: Divulgação.

Item usado em Chicago Fire não é real

Quando os bombeiros entram em um prédio em chamas e cheio de fumaça, uma das peças mais indispensáveis ​​do equipamento que eles usam é o aparelho respiratório autônomo. Ou, mais conhecido como SCBA. E, conforme observado no site MyFireFighterNation.com, uma das marcas mais populares de SCBA é a unidade Scott Air-Pack, que pode ser a razão pela qual parece ser a unidade usada em Chicago Fire.

Leia também: Chefe de Chicago Fire revela grandes retornos no futuro

Mas, como vários bombeiros veteranos apontaram, comentando sobre a série no portal Firehouse.com, o Scott Air-Pak conforme a série mostra, tem alguns problemas sérios.

Continua após publicidade

O bombeiro no fórum, que iniciou a discussão, questionou o fato: “Então, o que são as máscaras faciais das máscaras Scott… Essas NÃO são peças faciais padrão. O regulador não fica nivelado assim na parte inferior da máscara… Isso é um nova máscara que eu não vi ainda? Ou algo feito sob medida para a série, para que você possa ver o rosto do ator?“.

Continua após publicidade
Chicago Fire irreal
Imagem: Divulgação.

Então, um membro do fórum, Chenzo, concordou que algo não estava certo com a máscara. Ele disse: “Pelo menos não sou o único a se perguntar o que diabos está acontecendo com essas peças faciais.”.

Continua após publicidade

Em seguida, um terceiro bombeiro no fórum tentou ser um pouco mais caridoso sobre o assunto, escrevendo, “…entenda que é um programa de TV feito para fins de entretenimento por estúdios de Hollywood…”. E, enquanto o produtor Dick Wolf sem dúvida concordaria com a declaração posterior em relação ao valor do entretenimento, este é um detalhe sutil, mas vital em Chicago Fire que torna a série irreal desde o início. Pelo menos para os telespectadores que parecem ter experiência em entrar nos edifícios em chamas de verdade.

Continua após publicidade

Mesmo assim série continua com sucesso

Com erro ou não, Chicago Fire ainda é um grande sucesso da TV. Prova disso é que, no Brasil, é a série mais vista da TV a cabo por dois anos consecutivos. E, agora, retornará para nova temporada.

Continua após publicidade

Leia também: Chefe de Chicago Fire dá esperança aos fãs com boa notícia

No dia 10 de janeiro, o Universal TV estreará a décima temporada de Chicago Fire, com alguns episódios aguardados pelos fãs. Entre eles, está o 200º episódio. Este episódio não só marca os dez anos da série na TV, como também marca a despedida do Capitão Casey (Jesse Spencer). O interprete resolveu deixar a série após uma década na atração. Spencer alegou estar um pouco “cansado” de fazer séries de TV aberta, após emendar duas grandes atrações (antes de Chicago Fire, ele trabalhou por oito anos em House).

Outro momento aguardado é a definição da relação entre Stella e Severide, que se vê ameaçada após Stella “sumir” por alguns meses.