Pesquisa brasileira vira caso médico em Grey’s Anatomy

Destino de Jackson é revelado na 16ª temporada de Grey's Anatomy
Imagem: ABC/Divulgação

Grey’s Anatomy usa estudo brasileiro em caso médico de um de seus episódios

O Brasil está batendo ponto em Grey’s Anatomy! No episódio exibido na semana passada (14) nos Estados Unidos, uma pesquisa desenvolvida por pesquisadores brasileiros virou tema de um dos casos da série.

Continua após publicidade

Acontece que o estudo envolvendo a utilização da pele de tilápia para tratar queimaduras foi desenvolvida aqui no Brasil. A pesquisa foi feita pelo núcleo de Pesquisa e Desenvolvido de Medicamentos da Universidade Federal do Ceará. Os estudos, bem como sua aplicação, estão sendo desenvolvidos e praticados desde 2016.

Continua após a publicidade

No episódio em questão, quem fala do assunto foi o Dr. Jackson Avery (Jessie Williams), que chegou a mencionar que a descoberta é brasileira. Além disso, ele destaca o quão revolucionário é o tratamento, bem como os efeitos colaterais que são mínimos.

Continua após publicidade

 

Continua após publicidade

A pesquisa

Uma publicação do Blog Minha Série, escrito por Camila Pessoa, destaca que o tratamento mostrado em Grey’s Anatomy estava condizendo com a realidade.

Os estudos realizados para analisar os efeitos de curativos biológicos feitos com a pele de tilápia mostram que uma das vantagens é a redução de dores e desconfortos nos pacientes, já que eles precisam ser trocados menos vezes que os curativos tradicionais. Além disso, o tratamento desenvolvido pelos pesquisadores cearenses produz melhores efeitos de cicatrização.”, escreveu Pessoa (via Nexperts).

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

O procedimento, utilizado em queimaduras de 2° grau profundo e de 3° grau, ainda diminui os custos do atendimento. Isso porque trata-se de um curativo biológico temporário para fechar a ferida, evitando contaminação, desidratação e trocas diárias de curativos.

A tilápia foi escolhida porque as primeiras fases do estudo mostraram que sua utilização clínica era adequada. Além disso, mantinha semelhanças com a pele humana, como grau de umidade, alta qualidade de colágeno e resistência. Até 2017, o tratamento já havia sido aplicado em mais de 60 pessoas. No ano passado, foi exportado para os Estados Unidos, para tratar ursos, pumas e leões vítimas de um incêndio na Califórnia.”, completou Pessoa na publicação.

Vale ressaltar que em 2017 a pesquisa também foi utilizada em um dos primeiros episódios de The Good Doctor. É o Brasil marcando presença lá fora!

Leia também: Personagem principal de Grey’s Anatomy poderá morrer