11×01 de The Walking Dead foi um início que pegou fogo

Nova temporada começou agitada!

The Walking Dead estreia 11 temporada

The Walking Dead voltou! A série que muitos amam, alguns abandonaram e outros odeiam… Mas, com um início tão promissor e instigante, todo mundo deveria dar uma chance para o fim. Vai ser uma delícia acompanhar e cobrir a série no Mix de Séries para vocês ao longo desses 22 episódios e quase dois anos!

Continua após publicidade

Não poderia começar de outra forma, se não declarando o meu amor pela roteirista Angela Kang. Olha, depois daquelas difíceis sétima e oitava temporadas da série (e foi ali que muitos desistiram), essa mulher vem desde o nono ano salvando a franquia. Ela trabalha elementos do terror de uma forma tão competente… E ainda que nas mãos dela não exista grandes revoluções e novidades na série (apesar da coitada já ter “descascado muitos abacaxis” com as saídas de Rick, Maggie e Michonne), ela consegue trabalhar situações “comuns” com muita maestria.

Continua após a publicidade

O início do fim em The Walking Dead

Um belíssimo exemplo do trabalho de Kang é toda a sequência de abertura da 11ª temporada. Temos aqui uma busca por comida (que já vimos mil vezes anteriormente), em uma espécie de galpão cheio de zumbis “adormecidos”. E a atmosfera de tensão que é possível criar ali, com quais zumbis estão ativos ou não, é algo muito excitante de ver na série. Algo muito recorrente na escrita de Kang.

Continua após publicidade

Ela pega essas situações rotineiras e transforma em oportunidades. Seja de prender o espectador na cadeira, seja de desenvolver personagens, ou as duas coisas. Claro, nessa sequência específica há muito crédito também para a direção, mas é possível sentir a mão forte dela no roteiro.

Leia também: The Walking Dead aponta cura para zumbis na 11ª temporada

Importante destacar também a belíssima cena de ação protagonizada pelas mulheres. Maggie, Carol, Rosita, Lydia deram um show e mostraram que também mandam nessa franquia. Aliás, o bacana é que isso foi muito orgânico dentro do episódio, não forçaram a barra. Como era necessário “içar” pessoas para retirar a comida do galpão, pela lógica, isso seria papel de pessoas mais leves. Daí o inteiro protagonismo das mulheres que não fizeram feio.

Continua após publicidade
The Walking Dead 11 temporada
Imagem: Divulgação.

Um dos focos da temporada

Maggie (merecidamente) vai ser um dos focos dessa temporada final de The Walking Dead. Principalmente, por conta de toda a relação dela com o Negan. Sendo honesto, eu ainda não sei se gosto de como o personagem está se tornando. Sei do arco dele nos quadrinhos, sei da estupenda performance de Morgan no papel, mas uma redenção (se é que isso é possível) era o ideal?

Vilões já chegaram e se foram na série tantas vezes… Dessa forma, eu não entendo esse apelo do Negan. De todo modo, pelo menos, não é aquela redenção que se veste totalmente a capa de coitado, que se coloca a disposição para tudo, oferece a vida, ajoelha e perde perdão. Existe ainda uma grande área cinza em Negan e pode vir coisa boa daí.

Área cinza essa comprovada pela última cena do episódio. Sei que ali tem muito daquele suspensezinho besta, que coloca em cheque a autenticidade da redenção do personagem. Mas isso é história e faz parte. Então, eu não acredito que terminará daquele jeito mostrado ali. E você, concorda?

O outro lado da história

O episódio se dividiu em duas frentes, uma acompanhando o nosso já conhecido grupo e a outra a história de Eugene, Ezekiel, Princesa e Yumiko sendo recepcionados na Commonwealth. Essa segunda parte é a que eu menos gostei.

Leia também: 11ª temporada de The Walking Dead não vai estrear na TV do Brasil

Eu sei que tudo mostrado ali é para se dar uma dimensão do tamanho e da excentricidade daquele novo mundo. Mas, sabe, eu continuo achando que poderiam enviar nessa missão personagens mais carismáticos. Eugene não tinha jeito, ele era o elo de ligação, mas Ezekiel e Yumiko? E ainda adicionaram a tal da princesa? Er… não funcionou para mim! Se tivessem ido personagens mais envolventes, talvez eu me importasse mais.

Toda a sequência eu achei chata, só não é descartável porque eu acredito que haverá ainda muita importância dentro da história. Mas talvez perderam algumas oportunidades ali. Para não dizer que não falei das flores, a sequência final da parte com a Yumiko descobrindo que a irmã dela está naquele lugar foi bem bacana.

Imagem: Divulgação.

Conclusão

The Walking Dead chegou chegando! A sequência de abertura e a do metrô traz um frescor à série e um sentimento de tensão que a gente espera muito ver nessa temporada final. Mesmo abordando situações corriqueiras.

Claro, existem algumas questões esperadas, como a relação antagônica entre Negan e Maggie. Mas isso não é um demérito, pelo contrário. Se bem conduzida, poder ser algo muito bacana. Ainda há muita nebulosidade em cima da Commonwealth e dos vilões dessa temporada final. Então, eu espero (MUITO) que todo esse segredo esteja a altura das expectativas.

Até a semana que vem! 🙂

Nota: 4.5/5