Pacto Brutal: por que Guilherme de Pádua matou Daniella Perez?

Documentário de Daniella Perez no HBO Max expõe motivações de Guilherme de Pádua.

documentário daniella perez
Imagem: Divulgação.
- Publicidade -

Pacto Brutal O Assassinato de Daniella Perez, fez o Brasil inteiro discutir e debater novamente o chocante assassinato da atriz Daniella Perez, que aconteceu em 28 de dezembro de 1992. O documentário de Daniella Perez traz novas evidências e fatos nunca antes visto pelo público, a fim de trazer uma versão final sobre o caso que parou o Brasil.

- Publicidade -

Na época, Perez estava no auge, alcançando o título de “nova namoradinha do Brasil”, ao viver a personagem Yasmin da novela De Corpo Alma, de autoria de sua mãe, Glória Perez.

No entanto, ela perdeu sua vida de forma brutal ao ser morta por um colega de elenco, o ator Guilherme de Pádua, que dividia cena com ela na novela. O crime, claro, chocou o Brasil, e sua motivação ganhou diversas versões. A série do HBO Max, dessa forma, tenta dar uma versão definitiva para o crime, embasado pela mãe de Daniella e familiares. O documentário de Daniella Perez traça uma linha precisa do que aconteceu, e parece finalmente trazer luz a um crime que, infelizmente, chegou a gerar dúvida na cabeça dos brasileiros.

- Publicidade -

Como Daniella Perez morreu?

documentário daniella perez
Imagem: Divulgação.

Em uma entrevista de 1993, dada ao programa Jô Soares Onze e Meia, a autora Glória Perez expôs para todo o Brasil uma situação inusitada, e que já vinha sendo ventilada por muitos. A de que a atriz Daniella Perez teria “provocado” o ataque de Pádua, que agiu em legítima defesa.

Diante disso, Glória Perez tornou como missão provar de que Daniella Perez jamais teria feito o que Guilherme a acusou.

Leia também: Pacto Brutal O Assassinato de Daniella Perez: onde assistir e data dos episódios

De acordo com Guilherme de Pádua, na época, Daniella Perez teria dado em cima dele, e tentando assedia-lo de todas as formas. Incomodado com a maneira como a garota agia, ele tentou dar um basta e a resolveu encontrar em um terreno baldio, na Avenida das Américas no Rio de Janeiro. Foi então que, de acordo com Pádua, Daniella teria agido com ciúmes e tentado ataca-lo, o que teria feito Guilherme se defender com as tesouradas.

- Publicidade -

Essa versão logo caiu por Terra, e provou-se que havia diversas incoerências na fala de Guilherme e na linha do tempo do crime.

A atriz foi encontrada em 28 de dezembro de 1992, com 18 perfurações no peito, após ficar algumas horas desaparecidas. Mas uma testemunha viu o carro de Guilherme de Pádua na cena, algum tempo antes.

Por que Guilherme de Pádua matou Daniella Perez?

documentário daniella perez
Imagem: Divulgação.

Na entrevista de 1993, Glória Perez ressaltou essa versão que Pádua contou, e fez questão de frisar que isso não condizia com a verdade. Ela passou anos tendo de contar, de novo e de novo, o fato de que Guilherme de Pádua desenvolveu uma obsessão pela atriz, e a fama que ele ganhou por contracenar com ela na novela De Corpo e Alma.

- Publicidade -

No documentário de Daniella Perez no HBO Max, Glória Perez ressalta que a partir do momento que o personagem Bira (Pádua) se aproximou de Yasmin (Daniella), ele começou a fazer capas de revistas e festas de debutante. No entanto, quando o personagem se afastou, e passou a ter menos tempo de tela, Pádua começou uma perseguição com Daniella, para que ela pedisse a mãe que o romance na TV não acabasse. Além disso, que ele continuasse a ter destaque na novela.

Muitas testemunhas, que aparecem no documentário de Daniella Perez na HBO, mostram que a atriz ficou incomodada, e que Guilherme a perseguia sempre nos bastidores. A morte da atriz, aliás, aconteceu no dia em que a dupla gravou a cena do término dos personagens, o que teria incitado o ódio do ator ainda mais, porque Daniella Perez não teria influenciado a mãe a mudar a narrativa original.

Portanto, como o documentário ressalta, Guilherme de Pádua matou Daniella Perez por ciúmes e obsessão, ao ver seu destaque na novela De Corpo e Alma sumir.

Hipótese de ritual macabro surgiu no caso

Imagem: Divulgação. Documentário de Daniella Perez expõe caso no HBO Max.

Ao examinar o local do crime e também o corpo da vítima, a perícia policial descartou a versão de legítima defesa. E, além disso, levantou diversos indícios de que ela teria sido executada num ritual macabro. A hipótese não foi comprovada, mas, para muita gente, os elementos revelados na investigação deixaram a dúvida no ar.

De acordo com matéria do O Globo, houve evidências de um usou de punhal no crime. Dessa forma, ligando o caso a um ritual de magia das trevas. Outros indícios incluíam o corpo estar em um interior de um círculo queimado, dentro de um matagal. Ao pé da árvore também havia pequenos ossos de animal, e na palma direita da atriz tinha uma mancha vermelha com substância que não identificaram. A substância também estava na árvore. Além disso, os ferimentos observados no peito da vítima formavam um círculo ao redor de seu coração.

O autor Maurício Mattar, além disso, chegou a confirmar que Guilherme de Pádua participava de “seita um tanto sinistra do universo espírita e cultuavam uma imagem de gesso chamada Chicão“.

Leia também: Pacto Brutal choca com a verdade sobre morte de Daniella Perez

Os advogados da família da vítima chegaram, aliás, a defender a hipótese de que houve um rito satânico no ato da morte. Da mesma forma, a própria Glória Perez acreditava nisso. Mas essa tese, no entanto, não prosperou na Justiça.

Guilherme de Pádua foi preso? E ficou quanto tempo na prisão?

Guilherme de Pádua e sua esposa, Paula Thomaz, que participou do assassinato, pegaram condenações. Ele pegou uma sentença de 19 anos de prisão, e ela, de 18 anos. A mulher estava grávida de quatro meses quando eles cometeram o crime. E o bebê do casal nasceu quando a mãe estava sob a custódia do Estado. Eles se divorciaram quando estavam na cadeia e voltaram à liberdade em 1999, após cumprirem um terço da pena.

O que faz Guilherme de Pádua Hoje?

Guilherme de Pádua vive hoje em Belo Horizonte e atua como pastor em uma Igreja Evangélica. Nas redes sociais, Guilherme de Pádua foi um defensor fervoroso do atual presidente, Jair Bolsonaro.

O que aconteceu com Paula?

Paula passou seis anos presa, e depois cumpriu regime semiaberto. Depois, alterou o sobrenome para Nogueira Peixoto e se formou em Direito, segundo o colunista Paulo Sampaio, do UOL TAB. Agora, é casada com o advogado Sérgio Rodrigues Peixoto, teve mais uma filha e mora no Rio.

Pacto Brutal conta com cinco episódios, com disponibilização no streaming do HBO Max.

Anderson Narciso
- Publicidade -